Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

e-mail

por Fernando Lopes, 4 Fev 12

Tenho recebido e-mails de origem desconhecida. Monofrásicos, exprimem angústia. Pensei que fosse erro no destinatário e respondi a informar o facto. Continuo a recebê-los. No problem. Manterei um silêncio cúmplice, como o de um psicanalista. Estranho mundo este, em que alguém desafoga mágoas com desconhecidos. Estarei por aqui, como sempre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

mortos-vivos

por Fernando Lopes, 26 Out 11


Não é do tempo outonal. É um estado de espírito colectivo, que nos deixa entre o catatónico e o mortificado. Basta andar nas ruas para notar os rostos fechados, os ombros caídos, o desânimo colectivo, o caminhar lento de quem é empurrado para o abismo. Reúne-se o Conselho de Estado e sai um comunicado pleno de generalidades, apelando ao povo português para continuar a percorrer a via sacra do empobrecimento. Só me pergunto, 6 horas de reunião para parir isto?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eu, Cavaco e o facebook

por Fernando Lopes, 28 Ago 11

O facebook, como todas as novas tecnologias, exerce um fascínio enorme sobre os portugueses. Dizem-no útil para reencontrar velhos amigos do liceu, parentes desaparecidos, ex-namorados(as) e uma miríade de almas perdidas no éter. Como bom português também tenho conta no facebook, face para os amigos. Entrei tarde e frequento-o cada vez menos. Aparte de meia-dúzia de colegas do liceu a ferramenta revela-se insuficiente para quem não busca. Depois há os eternos gaviões e as suas fêmeas. Sempre atentos a uma carinha laroca, um comentário insinuante, uma deixa para pular a cerca. Um colega particularmente afoito a desconstruir estas coisas, inscreveu-se como trintona sexy, divorciada e aparentemente disponível. Em dois dias tinha 250 "amigos" alguns deles casados e de quem conhecia as mulheres. Suponho que o inverso também será verdadeiro. Todos já ouvimos o caso do(a) cota que abandonou mulher (marido) e filhos por causa daquele borracho que conheceu no face.

Cada um sabe de si e não me cabe compete fazer julgamentos sobre o uso que dá a esta nova forma de comunicação. Para mim não dá. Desde os DJs frustrados que disparam dez de seguida, até aos que só escrevem coisas enigmáticas, a minha paciência e tempo são escassos para lidar com tal futilidade.

Mas o mais grave disto é que já não é só uma ferramenta de jovens ou adultos à procura de não sei muito bem o quê, mas uma ferramenta institucional. Cavaco Silva é o seu utilizador top. Quando devia comunicar olhos nos olhos aos portugueses, lança bitaites via face. Nunca li nada que ele lá tivesse escrito por puro medo de ser obrigado a fazer Like na sua página. Grande seria o drama nacional se entre tantos Likes, encontrasse uma alternativa à Maria Cavaca. Sabendo-lhe os gostos no que ao feminino concerne estou certo de que seria séria, dedicada, excelente dona-de-casa, com um passado impoluto e que nunca copulou que não na posição missionária. Ou talvez não ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Justiça para tótós

por Fernando Lopes, 24 Ago 11


Para o leigo em ciência jurídica, longe das nuances e manobras de bastidores, o fascinante é a celeridade da justiça na América. Incapaz de analisar se o nosso sistema protege demasiadamente o acusado, o facto de processos complexos como os de DSK e Madoff serem resolvidos em meia-dúzia de meses deixa-me perplexo. Pois se em Portugal até para uma operadora de comunicações móveis cobrar uma factura precisa levar o caloteiro a tribunal?!

Caso Madoff fosse português, estaria com termo de identidade e residência e os executores da justiça na fase de "elaboração do processo", ao que se seguiria a audição de cada uma das testemunhas e lá para 2100 sairia da excelsa cabeça dos Exmos. Juízes uma sentença esdrúxula que se veria contestada ad nauseam até ao Supremo Tribunal dos Direitos dos Responsáveis por Esquemas de Ponzi. Goste-se ou não dos métodos americanos, sejam eles imperfeitos ou não em relação aos nossos, um facto salta à vista. A justiça é célere e quem a procura pode esperar por uma sentença no seu tempo de vida! Que bonito seria se assim fosse em Portugal.

Autoria e outros dados (tags, etc)



The roof the roof the roof is on fire
The roof the roof the roof is on fire
The roof the roof the roof is on fire
We don't need no water let the motherfucker burn
Burn motherfucker burn



Hello my name is Jimmy Pop and I'm a dumb white guy
I'm not old or new but middle school, fifth grade like junior high
I don't know mofo' if y'all peeps be buggin' give props to my ho 'cause she fly
But I can take the heat 'cause I'm the other white meat known as Kid Funky Fry
Yeah I'm hung like planet Pluto hard to see with the naked eye
But if I crashed into Uranus I would stick it where the sun don't shine
'Cause I'm kind of like Han Solo always strokin' my own Whookie
I'm the root of all that's evil yeah but you can call me Cookie





The roof the roof the roof is on fire
The roof the roof the roof is on fire
The roof the roof the roof is on fire
We don't need no water let the motherfucker burn
Burn motherfucker burn


Yo yo this hardcore ghetto gangster image takes a lot of practice
I'm not black like Barry White no I am white like Frank Black is,
So if man is five and the Devil is six than that must make me seven
This honkey's gone to heaven
But if I go to hell well then I hope I burn well
I'll spend my days with J.F.K., Marvin Gaye, Martha Raye, and Lawrence Welk
And Kurt Cobain, Kojak, Mark Twain and Jimmy Hendrix' poltergeist
And Webster yeah Emmanuel Lewis cuz he's the anti-christ


The roof the roof the roof is on fire
The roof the roof the roof is on fire
The roof the roof the roof is on fire
We don't need no water let the motherfucker burn
Burn motherfucker burn


Everybody here we go
Ohh Ohh
C'mon party people
Ohh Ohh
Throw your hands in the air
Ohh Ohh
C'mon party people
Ohh Ohh
Wave 'em like you don't care
Ohh Ohh
C'mon party people
Ooo Ooo

Autoria e outros dados (tags, etc)


Faz impressão o trabalho que se tem em ser superficial
Faz-me impressão e baralho o vulgar e o intelectual

Sinto depressão conforme perco tempo essencial
Sofro uma pressão enorme para gostar do que é normal


Deixo tudo para mais logo não sou analógico sou criatura digital
Tendo para mais louco não sou patológico como o papel vegetal


Faz-me impressão ser seguido imitado por gente banal
Faz-me um favor estou perdido indica-me algo de fundamental



Acho que o que gosto em mim o que me motiva é uma preguiça transcendental
E em ti o que me torna afim o que me cativa é esse sorriso vertical como uma impressão digital


Sinto-me uma fotocópia prefiro o original
Edição revista e aumentada cordão umbilical
Exclusivo a morder a página em papel jornal


Faz-me impressão o trabalho a inércia faz-me mal

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

  • Anónimo

    Não volta?!Vá lá...Escrever faz bem...e ler também...

  • Anónimo

    Que será feito do gerente desta coisa?Filipe em es...

Na boca do povo