Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Suavidade.

por Fernando Lopes, 16 Nov 16

Dado o meu temperamento stressado, desbocado, intempestivo, admiro quem consegue passar pela vida com alguma suavidade. O Paulo Bento tinha a tranquilidade, eu é mais a suavidade. Procuramos compensar o que nos falta, daí que admire esta faceta, em particular, no feminino. Uma mulher que nos chama à razão, nos dá uma descasca, de um modo tranquilo, meio pedagógico, ligeiramente matriarcal, é outra loiça. À hora que tomo pequeno-almoço, está quase sempre uma jovem mulher muito alta, na casa dos 30. Não sei se pelo tamanho imponente, se por natureza, a rapariga é extraordinariamente calma, aprazível, com um tom de voz e um jeito de se exprimir tão calmo que quase apetece confessar-lhe todas as dores de alma e pecados do mundo. Hoje falava com a senhora do café sobre o seu filho, com o seu modo tranquilo sem ser xóninhas. Muitos tendem a confundir uma coisa com a outra. A uma mulher abebézada, não acho grande graça, marca uma fronteira muito ténue entre doçura e patetice. Mas aquele lado calmo, quase ternurento, exerce sobre mim enorme fascínio. É tudo o que não sou.

Autoria e outros dados (tags, etc)

6 comentários

De Fernando Lopes a 16.11.2016 às 20:24

Não só, acho que algumas pessoas planam sobre as contrariedades, algo que gostaria de fazer, mas sou mais do género «berra, esfola, dá pontapés na mesa». Mas depois passa. :)


P.S. - É sempre um gosto tê-la por cá. 

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...