Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sr. Marques, um cabinda.

por Fernando Lopes, 3 Jul 16

marques2.jpg

 

O Sr. Marques não é português, apesar de aqui ter vivido a maior parte da sua vida. Menos ainda angolano, é um cabinda. Diz com indisfarçável orgulho que existem um rio e uma terra a separá-lo de Angola, a história do enclave e da feitoria, o facto de Cabinda estar entalada entre dois Congos e o mar.

 

Conta com brilho nos olhos as traquinices da mocidade em que partia de Cabinda para o Congo a vender feijão, e de como o apuro era logo ali gasto em farra, discotecas e copos. Fala da beleza da floresta do Maiombe como se lá estivesse.

 

De como foi tratado pelo Serviço Nacional de Saúde a um problema grave:

 

- Os meus compatriotas dizem mal dos tugas, eu só posso dizer bem, fui tratado como um príncipe.  

 

Da sua alegria em ver a cidade cheia de turistas, como gosta dos rostos surpresos a descobrir o que se lhe tornou familiar, da angústia em não falar inglês e consequentemente não conseguir transmitir o seu encantamento.

 

A cidade está cheia destas personagens plenas de afectos e «estórias», assim soubermos ouvi-las, e na modéstia das nossas limitações, partilhá-las.

Autoria e outros dados (tags, etc)

19 comentários

De golimix a 04.07.2016 às 08:45

Olá Fernando, estou distante mas sempre presente Image
Gosto dessas gentes que aí encontras. Gentes com vidas escondidas nos olhares.
Obrigada pela partilha, ainda bem que não ficas com isso só para ti Image

De Fernando Lopes a 04.07.2016 às 12:34

Gosto de transportar as pessoas para as minhas "conversas", sobretudo quando são de gente com ricas experiências de vida.


Abraço 

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...