Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Portugal, o país do «Parece Mal».

por Fernando Lopes, 5 Set 16

Início de verão. Descem a Rua da Picaria mais de quinze raparigas espanholas vestidas de ovelha. Algumas usavam cartazes, por eles percebi que se tratava de uma despedida de solteira. Agosto. Também na baixa várias senhoras espanholas falam alto e divertem-se com a figura dos maridos. Estes seguem atrás de orgulhoso avental posto, galos de Barcelos e outros motivos tradicionais portugueses. Os espanhóis sabem gozar consigo mesmo, não têm vergonhas, fazem figuras disparatadas com o maior dos à-vontades.

 

Portugueses típicos não seriam capazes de brincadeiras deste tipo porque «parece mal». Muitos de nós estamos mais preocupados com o que os outros pensam de nós que com tudo o resto. Uma espécie de seriedade, circunspecção, muito nossa. Nha, os portugas não fazem palhaçada, apenas se riem com as macacadas dos outros. Vejo os casais de meia-idade na baixa e penso: quantos de nós seriam capazes de se ridicularizar, rir da sua triste figura? Muito poucos. Chateia-me esta gente ensimesmada e séria, com ar de quem tem algo a perder, apenas ar e vento na carteira, roupa de marca comprada no outlet.  

 

Um dos exemplos mais comoventes de companheirismo, desta salutar descontracção, estava retratado numa foto em que dois septuagenários, numa feira típica americana, usavam t-shirts iguais. A foto apanha-os de costas, mão dadas, cabelos brancos. A dele dizia: - IF I GET TOO DRUNK CALL TESS. A dela, simplesmente, I AM TESS. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

15 comentários

De alexandra g. a 05.09.2016 às 21:19

Tu desculpa lá mas tens que partilhar os direitos de autor do texto comigo e, porventura, com mais um grupo bacano de gente :)


É que digo isto há que tempos (nem precisamos de apontar os casais de meia idade, basta ver os meus colegas do desemprego dos dias, rondando os 30 e tal anos, de uma seriedade com a aquisição de casa própria, discutindo carros para bebés, uma ausência total de ideias que lhe permita sustentar uma pequena conversa, só sabem mesmo divertir-se esfaqueando a direcção pelas costas: pela frente falo eu e ainda consigo rir de todo este ridículo).

De Fernando Lopes a 05.09.2016 às 21:32

Eu sei, sinto isso, é tudo gente muito séria, cheia de responsabilidades, com uma imagem a preservar. Lêem os livros que toda a gente lê, planeiam fins-de-semana pela TimeOut, uma coisa tão sem graça, sem imaginação, enfatuada, que me dá vontade de chorar. :)

De alexandra g. a 05.09.2016 às 21:35

Chorar?
ok, estou aqui a beliscar-me ferozmente a ver se acredito, mas... não dá :))

De Fernando Lopes a 05.09.2016 às 21:37

;) Aqui o escriba gosta de um pequena nota de melodrama.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

  • Anónimo

    Não volta?!Vá lá...Escrever faz bem...e ler também...