Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Passear pelo Soajo.

por Fernando Lopes, 17 Fev 15

soajo1.jpgO verdadeiro «caminho das pedras»

 

 

A vila de Soajo pertence ao concelho de Arcos de Valdevez, de cuja sede dista cerca de 20 km, e ao distrito de Viana do Castelo e está inserida no Parque Nacional Peneda-Gerês. Recuperou o título de vila em 2009, mas já antes tinha sido, tendo, no entanto, sido extinto em 1952, em consequência das reformasliberais.

Situa-se em plena área montanhosa do Alto Minho e constitui uma das principais portas de entrada do país pela fronteira orensana da Galiza, fronteira que é limitada pelo rio Castro Laboreiro.

 

Soajo é também famosa pelo vasto conjunto de espigueiros erigidos sobre uma enorme laje granítica, usada pelo povo como eira comunitária. O mais antigo data de 1782. Estes monumentos de granito foram construídos na altura em que se incrementou o cultivo do milho e serviam para proteger o cereal das intempéries e dos animais roedores. As suas paredes são desunidas para que o ar circule através das espigas empilhadas. No topo são geralmente rematados por uma cruz, que significa a invocação divina para a proteção dos cereais. Parte destes espigueiros são ainda hoje utilizados pelas gentes da terra. 

 

Soajo2.jpg

Aspecto de um recanto da vila

 

sojao3.jpg

Pelourinho de Soajo


Monumento nacional desde 1910, o Pelourinho de Soajo é um simples esteio ao alto, colmatado com uma face antropomórfica e um triângulo no topo, a lembrar um chapéu de três bicos. A data da sua edificação é incerta, embora o foral dado à vila D. Manuel I em 1514 possa lançar a sua construção, iniciando uma importante funcionalidade de marco jurisdicional. Alguns autores interpretam os seus elementos escultóricos como integrados em tradições locais de autonomia administrativa e política, potenciado as características especiais deste território e das suas gentes, documentada desde a Idade Média. O facto de não possuir nenhuma ranhura para colocação de ferros é apontado como justificativo para a sua tardia construção.

 

soajo4.jpgIgreja do Soajo


soajo5.jpg

 Rua da padaria

soajo6.jpg

Cão do Soajo

Cão do Soajo ou Sabujo Português impropriamente chamado «Cão de Castro Laboreiro». Cães vigilantes dos palácios dos reis e parques do reino de Portugal

casal.jpg

 Cruz em casa abandonada no Lugar do Casal, Arcos de Valvedez
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

6 comentários

De Ana A. a 18.02.2015 às 18:34

Muito bonito o Soajo! Gosto muito da pedra das casas e do lajedo das ruas. Parabéns pelo documentário histórico!

De Fernando Lopes a 18.02.2015 às 18:40

Imensas casas no centro da vila estão abandonadas. Não sei se pela dificuldade e custos em recuperar, mas aquela vila merecia outro tratamento, tal como o país.

De Gaffe a 20.02.2015 às 12:12

Eu tive um Castro Laboreiro!!!! Um cão gigantesco com um pêlo lindo, castanho arruivado. Nunca soube que era um Sabujo Português!
E eu conheço imensos sabujos portugueses...

De Fernando Lopes a 20.02.2015 às 13:29

Um belo animal com nobreza e carácter, bem diferente dos sabujos de duas patas que por aí pululam.

De Soajo em Noticiário a 25.11.2017 às 15:11

Para se saber o que diz é prciso não ser um repetidor de asneiras. Romendo os artigos de: soajoemnoticiario.blogs.sapo.pt

De Fernando Lopes a 25.11.2017 às 19:02

Não é necessário tanta agressividade. Passe bem.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...