Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Syriza é como Loukanikos.

por Fernando Lopes, 26 Jan 15

loukanikos-o-cao-rebelde-da-grecia.jpg

 

O Syriza arrisca-se a parir um rato, por isso rebolo-me a rir com tanto falo intumescido com a vitória da «esquerda radical». De Costa ao PCP, da entristecida Catarina ao Camões do séc.XX, Manuel Alegre, todos rejubilam com este pírrica vitória. O adjectivo «radical» acompanha sempre a palavra esquerda, para nos fazer lembrar a boa esquerda, a domesticada, burguesa e social-democrata como o PS. Alexis Tsipras está a jogar um jogo que é em Portugal conhecido como o «agarrem-me senão eu mato-o», proclamações e ideias esquerdistas apenas para ganhar espaço negocial. Acredito que alguma coisa mude, mas a Grécia, tal como Portugal, é demasiado dependente dos seus parceiros para que lhes possa dar um pontapé no traseiro. Rosna, faz o número de alçar a perna, mas terá de se entender com os companheiros do euro para não correr o risco de uma derrocada maior do que a permanência nesta europa de vontade germanizada.

 

Gostava de Loukanikos, gosto do Syriza, todavia abstenho-me de fezadas. Se a Grécia conseguir uma conferência para a renegociação da dívida já terá valido a pena. Daí até aos amanhãs que cantam, vai uma distância como da Terra à Lua.

Autoria e outros dados (tags, etc)

7 comentários

De Ana A. a 26.01.2015 às 19:47

Fiquei feliz pela vitória do Syriza (mesmo sem ter falo, que obviamente não intumesceu) :)
Claro, que precisamos de dinheiro, e neste mundo onde só ele é rei, vivemos agachados se queremos ter pão na mesa... Mas pelo menos deram um murro na mesa e se realmente chegarmos ao ponto de TODOS termos pouco a perder, aí outro galo cantará. Não há senhores sem escravos, por isso é só baixarem a fasquia até ao insuportável...

De Fernando Lopes a 26.01.2015 às 20:01

Acho bem que se (re)negoceie, que se alterem políticas, embora não entenda a aliança à direita. A minha esperança é que se abra uma janela de oportunidade para tornar as dívidas dos países do sul um encargo suportável e não umas algemas. 

De pimentaeouro a 27.01.2015 às 00:44

A governo grego apenas tem dinheiro nos cofres até Junho. Não há qualquer milagre para recuperar uma perda de 25% do PIB e para arranjar emprego para um desemprego com uma taxa de 25%.
Nem com o milagre dos pães, nem Cristo irá salvar a Grécia.

De Fernando Lopes a 27.01.2015 às 19:18

Caro amigo, também não acredito em milagres. Tenho no entanto uma réstia de esperança que a dívida possa ser negociada e ser levem a cabo políticas não austeritárias . O BCE já deu o primeiro passo, o resto «vamos ver» como dizia o ceguinho.

De pimentaeouro a 27.01.2015 às 21:48

Como sou velho sou mais desconfiado.

De bokeh a 08.02.2015 às 15:41

todos gostávamos de desapertar o cinto, nem que fosse apenas meio furo. contudo, temo que a frau badocha merkel use a grécia como exemplo para outros países onde partidos e movimentos com ideias idênticas à do syriza ganham força.....sendo intransigente e desta forma acabar com a esperança de muitos!

De Fernando Lopes a 08.02.2015 às 17:09

Não se pode calar o sentimento dos povos para sempre. Escrevi esta «coisa» ainda antes de ter começado a dança negocial. Haverão cedências de parte a parte ou a ideia de Europa desagrega-se, restando apenas norte e sul, numa espécie de secessão do séc. XXI.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...