Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O poder do calduço.

por Fernando Lopes, 9 Jul 14

Sabem os estimados leitores da vetustez do escriba. Tal traduz-se em hábitos fora de moda, que se me continuam a fluir devido a educação no século passado; uso abundante do se faz favor, obrigado, e heresia das heresias, dar sempre primazia às senhoras. Hoje, ao almoçar com a Treza e o Luís, recordei-me do porquê de deixar sempre as mulheres passarem à frente. Não é tal, acto de machismo, mas memória reflexa da educação dada pelo avô.

 

Teria uns sete ou oito anos e visitávamos uma qualquer loja. Entusiasmado com a perspectiva do presente que iria receber, não refreei a ansiedade e passei à frente de umas senhoras que transpunham a porta. Acto contínuo recebo um calduço, sou puxado para trás pelos colarinhos:

- Rapaz, não viste as senhoras? – perguntou o avô.

Mais que o calduço, o embraço caiu sobre mim.

- Tem razão avô, desculpe.

 

E nunca, mas nunca, nunca mais, passei à frente de alguma representante do sexo feminino. Primado às senhoras, sempre. Hoje em dia discutir-se-ia a igualdade dos sexos, o tratamento diferenciado, questões pedagógicas. Em verdade vos digo, nunca se deve subestimar o poder educativo do calduço.

Autoria e outros dados (tags, etc)

4 comentários

De Efeminúsculo a 09.07.2014 às 16:10

Adorei! Pelo simples facto de ainda nos mantermos fiéis ao que nos transmitiram os nossos "parentes" seniores e que gostamos (numa certa forma de orgulho) de manter pelo bonito que é sempre (nunca passa de moda) a delicadeza e a elegância que não tem nada que ver com machismos ou outras coisas que são vistas como "fraquezas" ou ultrapassadas e fora de moda. A educação nunca passa (muito menos de moda) pelo contrário. E deixe-me confessar (falo por mim e por muitas mais) que ainda há mulheres que podem não dizer nada ou até gracejar, mas ficam sensibilizadas pela gentileza(elegância no trato de um homem. Hoje em dia é tudo tão... Terra a terra, ou como direi tão vazio de sentido (até os toques, risos, olhares, contactos íntimos) ou não que quando se "apanha" uma pessoa que se mostra sensível e doutro "calibre" é caso quase para rezar uma novena (coisa que me seria impossível e que não sei fazer) mas pronto, olhava para cima e agradeceria ao Senhor lá de cima ter-me posto na frente uma "coisa de jeito" cá em baixo! Um resto de boa semana Fernando para si e todos os seus e desculpe os gracejos mas não são com má intenção antes por o admirar e à forma belíssima como escreve e descreve as situações. Bem haja por isso.Dá gosto ler blogs assim. Sorte a nossa que existam. 

De Fernando Lopes a 09.07.2014 às 18:42

Respondo com a sabedoria de António Aleixo:
«Não sou esperto nem bruto
nem bem, nem mal educado
sou apenas o produto
do meio em que fui criado.»

De Sandra a 10.07.2014 às 09:16

Eu fui educada assim, no meu caso, não é o facto de dar prioridade às senhoras, mas sim aos mais velhos!! Por uma questão que os mais velhos merecem o respeito e a delicadeza de dar sempre prioridade, seja em passagens, seja no autocarro ou na cadeira da sala de espera do centro de saúde. Por essa razão fiquei contrariada quando, grávida de quase 8 meses (mas parecia que estava grávida de mais de nove meses, com uma barriga gigante :) ), um senhor, já de uma certa idade, mas todo janota, me deu o seu lugar na fila de espera do centro de saúde para marcar uma consulta. Mas ele foi tão gentil e não quis fazer-lhe essa desfeita, mas que fiquei um pouco contrariada, isso fiquei... Porque os mais jovens que estavam à frente, fizeram de conta que não me estavam a ver...

De Fernando Lopes a 10.07.2014 às 10:45

Sandra, uma grávida e uma ambulância têm sempre prioridade. :) Fez o senhor muito bem, deu o exemplo aos mais novos.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback