Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Confesso que muitas vezes páro no AXN-White para ver comédias românticas. Pode não ser o suprassumo da intelectualidade ou coisa de macho, mas aprendo algumas coisas.

 

Um dos filmes que vi recentemente circulava à volta do tema que titula o post. Sou um pai empenhado e amantíssimo. Sei que quem tem vários filhos cria com cada um deles uma relação totalmente diversa, desdobrando-se perante as diferentes personalidades. Cada um é único, individual, dá-nos amor à sua maneira e nas suas condições.

 

Posto na pele de um homem que tem outro como cuidador da sua prole, confesso que tal me deixaria desconfortável. E se ele não a compreende? E se é tão fixe que o(s) meu(s) filho(s) esquecem o pai? E se a minha figura parental é posta para canto?

 

Sendo certo que na nossa sociedade as famílias eternas são cada vez mais raras, que as crianças têm enormes adaptabilidades, que o(a) companheiro(a) do nosso(a) ex pode ser uma excelente pessoa, teria dificuldades em encarar com sensatez um «pai alternativo». Se o que temos é único, é também certo que pode ser abalado por novas vivências, experiências.

 

Vêm à tona todas as minhas inseguranças, o meu amor irracional. Não, nunca outro homem poderá ser tão bom pai quanto eu, pelo menos para a minha filha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

12 comentários

De Maria Alfacinha a 09.09.2015 às 07:18

Claro que nenhum outro homem será suficientemente bom pai para a tua filha. Pronto, pronto...Image

De Fernando Lopes a 09.09.2015 às 07:29

Faz o favor de ser tolerante com as minhas inseguranças. 

De Maria Alfacinha a 09.09.2015 às 07:35

Ora essa! Se me expliquei mal, peço desculpa. Mas fui muito sincera, quando disse o que disse. Ninguém nunca será como tu Image

De Fernando Lopes a 09.09.2015 às 09:20

É das poucas coisas de que me orgulho.

De Maria Alfacinha a 09.09.2015 às 09:24

Porque és um tonto (dito com todo o carinho). Tens, com certeza, muito mais de que te orgulhar. :-)

De suricate a 09.09.2015 às 09:09

É uma insegurança legitima, afinal passamos a vida a tentar ser sempre melhor do que alguém, na escola, no trabalho, nas relações. Se nos centrarmos em quem somos acho que obteremos melhores resultados. E quando falamos de pai/mãe/filhos, na minha opinião (e tentando-me colocar nessa pele) outra que viesse...poderia até ser "melhor" do que eu ...nunca seria "como" eu. Não sei se me expliquei bem:) mas tentei:)
Se todos os dias adormece com a certeza de ter dado o melhor de si, pode adormecer descansado, ela, a sua filha sabe disso.

De Fernando Lopes a 09.09.2015 às 10:21

Todos os dias tento dar carinho, atenção, partilhar cumplicidades. Faço o melhor que posso e sei, e orgulho-me de ter uma relação excelente. As inseguranças são minhas, e muito mais abrangentes que a paternidade. ;)

De Gaffe a 09.09.2015 às 09:46

Quero contar-lhe um episódio ocorrido com amigos.
O J. Casou com a P. que tem uma filha do 1º casamento. São agora pais de uma rapariga linda.
O ex. passa os fins-de-semana com a filha que volta repleta de presentes.
A mais pequenina morre de inveja, embora disfarce como gente grande.


O J., num almoço em família, acaba por ouvir da filha a declaração de boas intenções e muito relaxante:
- Não te preocupes, papá. Se morreres, eu fico bem. O Pai da Juliana trata de mim.

De Fernando Lopes a 09.09.2015 às 10:24

As crianças não têm filtro, disse o que pensava. Se por um lado é tranquilizador, por outro deixava-me em pânico. E sabe, não sou muito de presentes, eu é mais beijo, abraço, e brincadeira.

De BataeBatom a 11.09.2015 às 19:52

Depois de uma tentativa falhada de comentar - maldita caixa de comentários, que decidiu fazer birra - aqui vai novamente (não se admire, portanto, se afinal receber dois comentários idênticos):
Tenho a certeza que nenhum homem poderia ser melhor pai para a sua filha, mesmo que ela proferisse comentários como os da menina retratada pela Gaffe. A idade tudo traz, nomeadamente o conhecimento de que os nossos pais são (à exceção dos que decidem ser bestas) os nossos melhores amigos.
Eles bem mo diziam, quando eu era adolescente. "Aceita o nosso conselho. Somos os teus melhores amigos." e eu pensava "Oh, as minhas melhores amigas são a X e a Y". Mas o tempo veio provar o contrário. Com a X, não resta qualquer amizade; com a Y, sim, falamos esporadicamente; com os meus pais... posso contar, em qualquer situação.
Já adulta e sem noções infantis de amizade e relações, tudo se tornou mais claro. Image bom fim de semana.

De Fernando Lopes a 11.09.2015 às 20:03

Devo ser um tipo muito peculiar, pois com 52 continuo a reunir regularmente com amigos da primária, companheiros de uma caminhada de 46 anos. :) Mais que amigo ou cúmplice, quero que ela saiba, como sabe com os seus pais, que pode contar comigo incondicionalmente, que é a pessoa que amo acima de todas as outras, que sempre que ela me chamar estarei lá. Dar-me é o melhor que posso lhe dar. 


Abraço e bom fim-de-semana. 

De ssga a 15.09.2015 às 04:53

Comédias romanticas são sempre muito boas,tambem adoro ver!! É sempre bom ver uma boa comédia romântica!!

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

  • Anónimo

    Não volta?!Vá lá...Escrever faz bem...e ler também...

  • Anónimo

    Que será feito do gerente desta coisa?Filipe em es...