Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

No campo é que estava bem!

por Fernando Lopes, 20 Out 15

terraco.JPG

 

Neste dia de temperaturas primaveris Entre- Douro-e-Minho senti falta do campo. Imaginei-me a fazer abrasear costelinhas, chouriças, alheiras e pimentos tendo por vista a montanha. Acompanhado por uma garrafa de Alvarinho bem fresco, nem sabem o bem que fazia a esta cabeça cansada. Apesar de amar a cidade, encontro cada vez mais prazer nas coisas simples do campo. Pudesse eu, e dividia a vida e o tempo entre estes dois amores.

 

paisagem.JPG

Autoria e outros dados (tags, etc)

10 comentários

De Callima | Carolina Gaspar a 21.10.2015 às 12:41

Para mim não há melhor paz que a paz do campo.Image

De Fernando Lopes a 21.10.2015 às 17:23

Nado e criado em Cedofeita, gosto das duas coisas, do silêncio do campo e do bulício da cidade. Viver entre dois mundos seria para mim a opção perfeita. 

De Maria Alfacinha a 21.10.2015 às 17:54

O meu avô também nasceu na freguesia da Cedofeita... Image

De Fernando Lopes a 21.10.2015 às 18:12

Era certamente boa gente, são os genes cedofeitenses. 
Image

De belitaarainhadoscouratos a 22.10.2015 às 09:19

Um dos meus irmãos nasceu em Cedofeita. O único dos nove filhos que nasceu sem ser em casa :)<br />Agora o campo... vivo numa cidade, daquelas recentes que na realidade nunca nos lembramos de que agora já é cidade porque não tem as infraestruturas que associamos às cidades... enfim... mas é daquelas a meio caminho entre o campo e a indústria e sem as belas vistas de outros lugares. No entanto, a zona onde vivo é meio campestre, com vaquinhas a pastar. Quando penso em ir arejar, quero ir para cidades a sério, passar dois ou três dias num hotel no centro de uma cidade e tudo aquilo a que tenho direito... nada de turismos rurais e coisas do género porque acordar no meio dos passarinhos, mulas e vaquinhas é o meu dia-a-dia :)

De Fernando Lopes a 22.10.2015 às 10:15

<Vaquinhas a pastar é uma das vistas mais relaxante que conheço. Em Arcos um vizinho tem um garrano fêmea, sem nome, conhecido como «a burra do meu filho». Só uns mimos ao raio da bicha já me deixam bem disposto. Fazes bem em apanhar uma dose de confusão e de gases de escape de quando em vez, ver um filme ou peça, beber uns canecos nas avenidas da grande cidade. :)

De mz a 22.10.2015 às 18:23

Podemos trocar de vez em quando!
É que eu sinto muitas saudades de Lisboa. Regressei à aldeia que adoro, mas é uma canseira e ao mesmo tempo um tédio incompreensível.

De Fernando Lopes a 22.10.2015 às 18:56

Sou um felizardo, tenho uma casa na cidade e outra no campo que as fotos acima ilustram. Está disposta a experimentar o Porto? Mas não me importava nada de fazer uma permuta temporária para conhecer novas paragens. Podemos até criar uma startup na net para essa coisas. Ou às tantas já existe. :)

De mz a 25.10.2015 às 19:18

Não , não existe e não está nos meus planos :)

A casa é linda, parabéns.

De Fernando Lopes a 25.10.2015 às 19:41

As casas, no meu sentir, têm mais um valor afectivo que patrimonial. Esses afectos puxam-me mais para Arcos que para a casa do dia-a-dia.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback