Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Luz.

por Fernando Lopes, 27 Fev 17

cao.JPG O meu amigo a pedir a benção. 

Saberá a freguesia mais regular e atenta que, de quando em vez, refugio-me na minha casa da aldeia. O meio tem as suas idiossincrasias, como o facto de o alcoolismo ainda ser considerado «normal», ou coexistirem cerimónias ancestrais como a desmancha do porco ao som de música pimba vinda de uma coluna bluetooth. De minha casa ao café do Cunha, o único restaurante e centro de convívio, serão mais de mil metros a subir e descer.

 

Tomo o pequeno-almoço e logo à saída de casa me convidam para uma febra e um copo de vinho. Abdico da febra e como um naco de broa e um copo de verde branco. Na terra, quando o vinho é para consumo próprio ninguém lhe junta sulfitos, o que faz com que o vinho branco em contacto com o ar rapidamente oxide, e ganhe uma cor escura. Dez minutos de conversa sobre as agruras da cidade, como fugir das patroas, figuras que inspiram temores profundos e parecem ter sido criadas para nos atazanar a cabeça. Nisso, a cidade e o campo são mais semelhantes que o que se pensa.

 

No percurso, travei-me de amizades com um cãozito arruivado e a dona. Viúva, sexagenária e sozinha, aproveita a oportunidade para por a conversa em dia. O raio do cão, ainda mais carente de mimos que eu, sente-me o cheiro a mais de duzentos metros e desata a ladrar com entusiasmo.

 

Não sei porquê, mas a escassa iluminação pública é desligada à meia-noite. Como vou ter a eternidade para ficar no escuro, ligo um trio de lâmpadas de baixo consumo que transformam a casa no único local iluminado num raio de quilómetros.

 

- Já sabia que estava cá, o sr. deixa sempre as luzes ligadas.

 

- São lâmpadas que gastam pouco, e como acordo a meio da noite para fumar um cigarrito, gosto de ter luz, justifico-me.

 

As nossas casas distarão quatrocentos metros em linha recta, e, por estranho que pareça, a sra. pareceu sentir-se reconfortada por ver alguma luz no escuro da noite. Coisas aparentemente sem valor como deixar luzes de presença acesas, pode de estranho modo, dar a alguém a sensação de que está menos só.

Autoria e outros dados (tags, etc)

8 comentários

De Anónimo a 27.02.2017 às 17:07

O nosso iluminador e futuro ordenhador de mamíferos.
Filipe de sabes de quem e do quê.
P.S. Existe uma pulga que tem a mania que é cadelinha  mastim no andar de baixo. Mesmo quando lhe são dadas festinhas ladra como uma avantesma com cio. Estou fodido!

De Fernando Lopes a 27.02.2017 às 17:29

Nunca tive a pretensão de trazer a luz a ninguém. Acabei com esta estranha forma de luminotecnia. 
P.S. - Será que está a tentar ser a tua fêmea-alfa? :)

De Alice Alfazema a 27.02.2017 às 20:17

As patroas são seres terríveis. Image


Parabéns, um abraço grande. Image 

De Fernando Lopes a 27.02.2017 às 20:29

O medo que os machos têm das suas patroas vai de norte a sul, do campo à cidade. Estavam os homens com uns canecos no papo, ainda manhã, e já com miúfa de regressar a casa. Aposto que tens um moço aí em casa que te tem um respeitinho do caraças. 
Image



À nossa! Image

De Alice Alfazema a 27.02.2017 às 22:41

Tu tens uma bola de cristal? Ou és o Prof. zengolopes?Image

De Fernando Lopes a 27.02.2017 às 22:56

Como tenho um ar meio-muçulmano serei o Prof. Al - adibinha...

De Carlos A. de Carvalho a 07.03.2017 às 21:12

Existe inveja boa ? Se existe , tenho inveja da aldeia , da escuridão , da tasca e das festinhas do cão . A minha família convenceu-me a passar férias nas Caraíbas ,não tinha aldeias , escuridão e sequer um rafeiro para eu lhe fazer festinhas . Que pena . 

De Fernando Lopes a 07.03.2017 às 22:56

Acho que o segredo é encontrar o encanto que cada local encerra. As caraíbas também têm os seus. :)

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

  • Anónimo

    Não volta?!Vá lá...Escrever faz bem...e ler também...

  • Anónimo

    Que será feito do gerente desta coisa?Filipe em es...