Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Homens providenciais.

por Fernando Lopes, 10 Abr 15

Todos os cidadãos portugueses maiores de 35 anos têm o direito a candidatar-se à Presidência da República. A questão da idade mínima já é um paradoxo, uma vez que se um cidadão de 18 anos é bom para votar, pagar impostos e toda a parafernália de obrigações, não sei porque não o é para se candidatar a PR. Uma espécie de capitis diminutio que não se entende.

 

Os três proto-candidatos que se apresentaram à liça têm um aspecto comum: vêem-se como interventores no regime. Ora esse não é o papel do PR. Perdoar-me-ão a tibieza da imagem, mas um PR é como aqueles tipos do abastecimento dos F1. Apenas deve assegurar que a democracia tem o combustível suficiente para andar. Assegurar o normal funcionamento das instituições. Mais nada.

 

Não quero um PR com programas sociais, porque isso compete ao governo eleito. Não quero um PR que tenha como bandeira o combate à corrupção, porque para isso existe a justiça e as suas instituições.

 

Nenhum dos três candidatos tem a experiência política desejável para o lugar. Além disso, tenho um medo de morte dos homens providenciais porque a história me ensinou que não há nada mais dramático que a eleição de um deles. É consultar os manuais e analisar as tragédias, mortes e obscurantismo que os últimos homens-providência da nossa história causaram.

Autoria e outros dados (tags, etc)

4 comentários

De Ana A. a 10.04.2015 às 17:36

Totalmente de acordo! E nessa fiscalização da democracia deve-se englobar a demissão, sem apelo nem agravo, dos governos que são eleitos com um programa e depois passam a governar com outro.

De Fernando Lopes a 10.04.2015 às 19:47

Faço parte (tal como provavelmente a Ana) dos 20% de portugueses que não votaram nos partidos do «arco da governação». Discordo de si na parte da demissão do governo. Os que os elegeram - e nós por consequência - devem levar com este(s) governo(s) miseráveis, sofrer na pele e arcar com as suas responsabilidades enquanto eleitores. A avaliar pelas sondagens não aprenderam nada.

De Ana A. a 10.04.2015 às 20:10

Não aprenderam mesmo. Mas, repito, é suposto votar-se em programas eleitorais (excepto os fanáticos que votam na cor partidária), logo, se o programa não é o que foi sufragado, rua com eles!

De Fernando Lopes a 10.04.2015 às 20:24

Compreendo o seu ponto de vista, mas estou imbuído de um espírito castigador.
Image

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...