Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fui eu mesmo que fiz.

por Fernando Lopes, 18 Nov 15

Ter sido pai aos 42 é gerador de equívocos. Embora a maternidade e paternidade tardia se tornem cada vez mais frequentes, tenho de aceitar que um tipo grisalho – para dizer a verdade com mais brancas que outra coisa – passear-se com uma criança pequena pela mão não é vulgar. Por mais que uma vez me tomaram por avô da minha filha. Não lhes levo a mal, o normal entre os meus amigos é terem filhos na faculdade.

 

Uma vez, numa confeitaria, sentamo-nos, pedi um café e um croissant para mim e interroguei a cria. O empregado era um jovem, nos seus vinte e poucos. A filha apenas quis húngaros.

 

-  A sua neta não vai querer beber nada?

 

- Fui eu mesmo que fiz, não é neta, é filha.

 

Valeu pela prontidão da resposta e por ver o rapaz ruborescer e desfazer-se em desculpas o tempo todo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

10 comentários

De Corvo a 19.11.2015 às 22:26

Boa-noite, Fernando.
A meu ver o problema nem está tanto aí. É um pai a quem tomam por avô e com isso, vive seguramente bem.
O problema está depois, da falta de paciência para lidar com a prole, seja uma ou uma dúzia.
Depois dos cinquenta é irreversível. A paciência vai encolhendo na proporção da barriga que vai dilatando
Image

De Fernando Lopes a 20.11.2015 às 07:32

Comigo tem sido o oposto, Tenho mais paciência agora, devo estar a envelhecer sabiamente. 

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback