Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Erro não forçado.

por Fernando Lopes, 16 Jun 16

No ténis, o erro não forçado é aquele apenas pode ser atribuído ao mau julgamento do jogador. Se estás junto a um precipício, te aproximas demasiado da berma e escorregas, cais ao mar sem saber nadar, pões o braço fora do barco num rio pejado de piranhas, pisas um cocó de cão no passeio, te apaixonas por alguém que não te quer, isso é um erro não forçado. É comum dizer-se que aprendes mais com erros que com os sucessos. Não estou tão certo disso. Sei que os erros são necessários, uma espécie de confrontação com a incapacidade em fazeres tudo bem. A vitória estimula-te, o erro crava-se-te na pele como algo que não desejas repetir. E, no entanto, tal é inevitável. Cais, levantas-te, tornas a cair. A beleza não está em não cair, mas na dignidade com que te levantas depois de queda aparatosa.

 

 

(*) De uma ideia surgida numa conversa com o Filipe

Autoria e outros dados (tags, etc)

2 comentários

De Anónimo a 17.06.2016 às 10:33

Como dizia o McEenroe ao árbitro depois de assinalado um erro não forçado: "you are a disgrace to mankind".
Filipe bong bong 

De Fernando Lopes a 17.06.2016 às 19:42

Fizeste-me lembrar a parte do jogo ténis de «A Piada Infinita». Foi por tua causa que a fui ler.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

  • Anónimo

    Não volta?!Vá lá...Escrever faz bem...e ler também...

  • Anónimo

    Que será feito do gerente desta coisa?Filipe em es...