Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em Portugal é difícil emagrecer.

por Fernando Lopes, 15 Out 15

Absolutamente insensível a modas e novidades gastronómicas, forreta para não gastar dinheiro em restaurantes na berra, sou o que se convencionou chamar um bom garfo, quase sempre com apetite, defensor incondicional da comida tradicional portuguesa.

 

As modas chegam e invadem tudo, há que inovar para atrair clientela. A «Conga» uma casa na rua do Bonjardim especializada em bifanas, tornou-se famosa pela qualidade da carne utilizada e pelo molho. As más-línguas dizem que o panelão de molho era sempre o mesmo, sendo apenas acrescentado quando ameaçava acabar. Nada de novo já que os alemães também não lavam os tachos e formas dos bolos, ao que consta para manter o sabor. Agora já serve coisas entre o tradicional e o cagão como folhado de alheira em cama de rúcula.

 

Almoço todos os dias por uns humildes 6,50, e se soubermos ir aos sítios certos não se come mesmo nada mal. Ontem tive o prazer de partilhar mesa com um amigo blogosférico e tratamos por tu um bife com ovo a cavalo. O amigo é de carne e osso – mais osso que carne – e bateu-se com galhardia com o pedaço de vaca que lhe estava destinado.

 

Hoje cheguei com ideias de peixe, mas sucumbi face a umas excelentes tripas. Tripas dignas de tal nome têm de incluir folhos, favos e touca. Hoje em dia poucos restaurantes usam touca por ser basicamente gordura. Eu gosto, estas tinham. Os cominhos também são essenciais. Saí como um príncipe por uma quantia que não daria para um Big Mac na maior parte da Europa.

 

Não admira que em Portugal seja difícil emagrecer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

6 comentários

De Fatia Mor a 15.10.2015 às 21:15

"As más-línguas dizem que o panelão de molho era sempre o mesmo, sendo apenas acrescentado quando ameaçava acabar" - conheço mitos urbanos destes por várias cidades, vilas e aldeias deste Portugal.

De Fernando Lopes a 15.10.2015 às 21:23

Certo é que me recordo que a referida panela tinha uma dose de cascão respeitável, oriunda do molho fervente que escorria quando fervia. E mais não digo. :)

De Carlos Azevedo a 15.10.2015 às 21:33

No caso da Conga, não era um mito urbano. Mas lá que as bifanas eram boas, isso eram (porventura, até por causa da falta de higiene, mas prefiro não pensar muito nisso).

De Fernando Lopes a 15.10.2015 às 21:51

Dizem que o incêndio - e isto sim pode ser mito urbano - começou naquele fogão a gás que aquecia o molho.

De Gaffe a 15.10.2015 às 21:17

Que inveja! O menino é mau.
Gosto tanto, tanto, tanto do que descreve aqui!

De Fernando Lopes a 15.10.2015 às 21:30

Em modo confessional, sou tão forreta, tão forreta, tão avesso a inovações que o restaurante mais chique a que fui, foi o pai que pagou. Era no Foco - ou Graham, se preferir - onde era o hotel e as piscinas. Do que mais gostei foi das lamparinas por baixo de um carrinho metálico onde estava a paparoca. Um empregado por mesa, a distância respeitosa. Depois disso, só nas Maurícias voltei a provar o que pomposamente designam por comida de autor. ;)

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

  • Anónimo

    Não volta?!Vá lá...Escrever faz bem...e ler também...

  • Anónimo

    Que será feito do gerente desta coisa?Filipe em es...