Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dieta de mentira.

por Fernando Lopes, 31 Ago 14

Ninguém gosta de ser gordo. Pura e simplesmente habituámo-nos ao peso excessivo. Com 1,70 m e 83 quilos estou no limite máximo da pré-obesidade, quase a passar oficialmente a badocha. Durante toda a infância e juventude fui magro, raramente ultrapassando os 65. Não gosto de ser anafado, menos ainda dos sacrifícios que a magreza implica. Eu não sou eu se não puder beber umas cervejas, tratar por tu uma francesinha, lambuzar os dedos com leitão.

 

Há uma quinzena de anos voltei ao peso da juventude através de uma série de visitas ao emagrecedor da moda, o dr. Tallon. Conheço gente que foi ao nutricionista, fez a dieta da Roquette, tomou sumos detox, de tudo. O que me encanita é quando mentem. Hoje, com um amigo que subitamente emagreceu dez quilos:

 

- Porreiro. Foste ao médico? O que é que estás a tomar?

- Nada, pá. Deixei de comer francesinhas, bebo pouco álcool, reduzi os hidratos de carbono.

 

Apeteceu-me mandá-lo foder logo ali. Se um gajo perdesse tanto peso por não comer francesinha ou evitar a batata frita, todos éramos magros. Não entendo muito bem o pudor de confessar uma vista ao Póvoas estando entre amigos. Quando cessar o tratamento, rapidamente voltará a ser o gordito de sempre. Been there, done that. O peso excessivo tornou-se num tal estigma, que até as normais consultas a um especialista em desinchamento se tornaram tabu. Se me der um vipe, se a auto-estima estiver em baixo, se necessitar de medicamentos para emagrecer e o decidir fazer, uma das coisas que não irei incluir na dieta será a mentira.

Autoria e outros dados (tags, etc)

10 comentários

De Carla a 31.08.2014 às 13:48

Como te entendo, Fernando!!!

Não sendo propriamente gorda no sentido do excesso de carnes e peles a tombar para fora do limite mínimo -- ainda é possível contar-me as costelas, pelo menos senti-las, e saber com segurança onde estão os ossos das ancas -- estou muito acima do que se tornou normal parta mim. A vida sedentária dá cabo de mim e, para ajudar, o meu irmão casa no mês que vem.


Já decidi voltar às sopas, não como sacrifício, porque quando vivo sozinha tenho uma alimentação muito despojada e gosto assim, mas por precisar com urgência voltar a sentir uma certa leveza que agora não tenho.


Ou seja, em vez de ser uma gorda gorda, ser uma gorda cheia de curvas e graça.


Daqui a dois meses logo digo como correu.

De Fernando Lopes a 31.08.2014 às 14:07

Carla, julguei-te MIA. Uma coisa é o aumento ligeiro de peso da vida sedentária e da idade, e é isso que te acontece. Outra coisa é andar no arame da badochice. Uma alimentação frugal não é muitas vezes o suficiente, e não vejo nada de mal em recorrer a «ajuda externa». :) Fico danado é que o preconceito seja tão grande que se recorra à mentira. Ou mimetizando o Tó Zé seguro: Qual é o mal? 

De bokeh a 31.08.2014 às 14:21

talvez o seu amigo não esteja mentir Fernando!
na sequência de um problema de refluxo tive de deixar todas aquelas coisas que dão alegria à vida, incluindo leite e derivados, e conjugado com seis a dez quilómetros de corrida diária perdi mais de quinze quilos (de noventa para setenta e dois)....e, pasme-se.....em menos de dois meses!
contudo, não aconselho ninguém a perder tanto peso em tão pouco tempo....foi uma parvoíce!...mas possível

De Fernando Lopes a 31.08.2014 às 14:56

Meu caro, dez quilos num mês, sem exercício físico, sem problemas de saúde e com uma dieta moderada? Acredita mesmo?

De bloga-mos a 01.09.2014 às 17:48

Passei dos 65 para os 62 porque às vezes os dinheuros não abundam para comer. É tiro e queda felizmente almofadada

De Fernando Lopes a 01.09.2014 às 18:46

Não sei o que te dizer, por isso guardo um respeitoso silêncio.

De Anónimo a 04.09.2014 às 22:46

De Fernando Lopes a 05.09.2014 às 00:09

Meu caro(a),
Os seu conselhos são de elementar bom senso, agradeço-os. Já a sua interpretação minimal do prazer é algo de que discordo filosoficamente. A comida, como a bebida ou o sexo é do reino do prazer, não indicando falta de nada, antes a procura da um estado alegre, hiperbólico, muito para além da preocupação com longevidade ou saúde. Temos perspectivas diferentes da corporalidade, já que me dirá algo similar a «o meu corpo é o meu templo» e eu responderei com um cínico «o meu sempre foi a minha prisão».

De Paulo Maia a 17.03.2015 às 04:36

Caro Fernando Lopes adorei a forma como exprimiu o prazer que sente em comer e beber bem ! De forma inteligente e educada respondeu a quem prefere cultivar e adorar o seu aspecto físico que respeito da mesma forma que os mesmos devem respeitar quem adora comer. Poderia também (tal como foi comentado) passar à critica e dizer que quem adora e venera o seu adoravel corpo musculado poderá ser inseguro e com pouco amor próprio mas apenas quero reforçar que se há pessoas obesas obviamente não será porque querem. <br /> Fui atleta e obviamente sei bem o que é treinar e o que devo comer para não engordar mas o problema é que após parar a competição há a tendência de querer fazer aquilo que era proibido anteriormente basta vernos alguns atletas de craveira mundial tipo Michael Phelps Maradona etc e toca a provar determinados alimentos pelo que não queimando os excessos vêm os kg a mais.<br /> Sem qualquer problema admito que irei brevemente ao Dr. Tallon e vou recorrer a uma dieta com o auxílio de comprimidos pois não consigo nem tenho motivação para treinar pois isso já fiz muito tempo na minha vida e se antes tinha prazer ao fazê-lo agora seria com muito sofrimento que iria para patamares de forma aceitaveis pois já tenho 42 anos e 1,73m e engordei até aos 99 kg.<br /> Agora que já conheço os dois lados estou preparado para reduzir até ao meu peso ideal mas com ajuda.<br /> Deixo também outra nota que é o facto de também ter fumado agora durante uns anos e achei que também estava na altura de deixar e parei faz 5 meses ajudando agora pessoas a acabar com esse vício sem sofrimento (ansiedade).<br /> Tabagismo e Obesidade são problemas semelhantes e para vencer tal como numa competição desportiva é tudo uma questão de querer e acreditar e com ajuda é fácil.

De Fernando Lopes a 17.03.2015 às 19:16

Boa sorte com a dieta. Começou em grande, sem rodriguinhos e meias-verdades, o que significa que já percorreu metade do caminho. 


Abraço.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...