Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

D.Quixote.jpgD. Quixote e Sancho Pança, num mural na Rua Diogo Brandão à Miguel Bombarda

Sozinho neste dia de anos, resolvi fazer algo diferente. Acordei às 11:00 e pedi à Isilda (a nossa ajuda cá de casa) para preparar um sopa com a «trounchuda» que a Tia Helena, minha vizinha de Arcos, nos tinha dado. Os vegetais rurais têm um sabor completamente diverso das espécies irmãs criadas industrialmente. E como gosto de uma boa sopa de couve. Fui almoçar e decidi-me por um cachorro especial, extra-picante. Meti pés ao caminho para fotografar este mural gigantesco de D. Quixote junto à Miguel Bombarda.

 

 

Passei pelo Getsémani da Praça de Lisboa e olhei para a Torre dos Clérigos. Há muito tempo, demasiado, que não subia. Encho-me de coragem para percorrer os 200 e tal degraus. A coisa faz-se sem grande dificuldade, mesmo para um fumador inveterado. Algumas das imagens estão abaixo.

 

jardim das oliveiras.jpgJardim das Oliveiras, antiga Praça de Lisboa

 

Torre dos Clerigos.JPGTorre dos Clérigos

 

Rio visto da torre.jpgRio visto da Torre

vista da cidade.jpgA cidade a meus pés

Contra luz.jpgContra luz sem pretensões artísticas, achei que ficava giro

 

 

Cansado, resolvi experimentar o Uber. Pedi o carro que me deu um tempo de espera de três minutos. Passados cinco, lá estava o Jorge que era um vimaranense, a minha segunda terra afectiva. Conversa agradável, simpatia e eficácia por 4,54€. Uma alternativa ao serviço de táxi que nesta primeira experiência correu lindamente, por um preço ligeiramente inferior ao do serviço convencional. Já tenho alternativa para o transporte para casa nas minhas noites de boémia.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

16 comentários

De bloga-mos a 24.02.2015 às 16:21

Hoje beberei um tinto ou branco para lá da minha conta habitual. Parabéns, Nando...

De Fernando Lopes a 24.02.2015 às 16:25

Obrigado, camarada. Quando vieres à invicta, terei todo o gosto em pagar-te uma, duas, três, vá lá, meia-dúzia de loiras enquanto conversamos. Maila-me e mai'nada! 

De bloga-mos a 24.02.2015 às 17:00

Assim será, caralho!

De Ana A. a 24.02.2015 às 18:37

Um grande abraço neste dia especial, Fernando!
Folgo em saber que hoje tirou o dia e que tão bem está a aproveitá-lo. Eu subi à Torre quando tinha 20 anos e nunca mais tive coragem para voltar a fazê-lo.
Desejo-lhe Paz, Força e Alegria para continuar "as jornadas"!

De Fernando Lopes a 24.02.2015 às 18:55

Não é nada difícil, sobe-se bem, a dificuldade é um mito. E um enormíssimo abraço para si e um imenso obrigado por me acompanhar nesta viagem do blogue há tantos anos. Mesmo sem nunca a ter visto gosto muito de si.

De soliplass a 24.02.2015 às 19:31

'tão fazes anos e nem pra uma jeropiga convidas os leitores? 


Que contes muitos e rijos sempre com força nas canelas pra nos presenteares com prosa e vista d'olho d'águia sobre o soberbíssimo e belo Porto uber alles.

De Fernando Lopes a 24.02.2015 às 20:01

Se as pedras falassem, estas da cidade velha, certamente me trariam conselhos sábios. Assim não sendo, envio-te um enorme abraço, certo que entre esta coisa de bits e bytes circula uma enorme admiração por ti, e porque não dizê-lo, amizade.

De Alice Alfazema a 24.02.2015 às 22:51

Parabéns! Belíssima vista, quase que te nasceram asas. Image


Um abraço. Saúde!Image
 

De Fernando Lopes a 24.02.2015 às 23:51

Estava lá em cima a pensar, salto ou fotografo? Venceu a segunda hipótese. :)


Abraço.

De Inês a 25.02.2015 às 15:21

PARABÉNS. E que belo dia deve ter sido. Pelo menos e pelas fotografias, parece que sim.
Venham de lá esses ossos e dois chochos.
PARABÉNS.

De Fernando Lopes a 25.02.2015 às 18:58

Como tenho dez quilitos a mais, há mais chicha que ossos. Aceito a referência como lisonjeira. Vão daqui dois chochos e um abraço anafadito. :)

De Luís Coelho a 25.02.2015 às 22:25

Ainda que atrasado (cabrão do alzheimer), aqui fica um abraço de Parabéns.
Muitos mais venham, sem jamais descurar aqueles escritos que tantas vezes nos tocam a alma.

De Fernando Lopes a 25.02.2015 às 22:32

Esse Alzheimer não é aquele ministro alemão, jante 17 no bólide, que se passeia com uma Maria Luís pela trela? ;)


Abraço e obrigado. 

De Carlos Azevedo a 26.02.2015 às 01:10

Fernando, enviei-te email, mas não sei se chegou ao destino. Assim, renovo os parabéns e os votos de que comemores a data por muitos e excelentes anos. Grande abraço.
(E que belas fotos da minha cidade!)

De Fernando Lopes a 26.02.2015 às 19:10

Companheiro, agradeço e sabes que tenho reservado para ti um cantinho especial deste velho coração.

De Carlos Azevedo a 27.02.2015 às 02:29

Muito obrigado, Fernando; o sentimento é recíproco. Em todo o caso, essa história do «velho coração» é um bocado exagerada, não? Quem te ler e não te conhecer, pensará que acabas de festejar o teu nonagésimo aniversário. :-)

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

  • Anónimo

    Não volta?!Vá lá...Escrever faz bem...e ler também...

  • Anónimo

    Que será feito do gerente desta coisa?Filipe em es...