Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Corre miúda, corre.

por Fernando Lopes, 19 Jan 16

Sem saber o motivo exacto dou comigo a observar as pessoas que me rodeiam a qualquer momento. Mal acordo venho para este escritório de onde vos escrevo. Enquanto fumo um cigarro e espero que o autocarro passe, surpreendo-me sempre por estar cheio às 07:30 da manhã. Entretenho-me a imaginar onde trabalharão aquelas pessoas, que metro vão apanhar, o que fazem. Vão lá dentro a mulher-a-dias, o amanuense, o reformado que vai tratar de tudo pessoalmente às finanças. No trânsito gosto de olhar para quem está a meu lado na fila. O homem do carro de 120.000 euros, o velhinho com boina que leva a sua senhora à consulta, a mãe com os putos ensonados. Para todos eles imagino uma «estória», família, sucessos e fracassos, dramas e comédias que nos compõem a vida.

 

Depois existem aquelas personagens que secretamente admiramos como a gordinha que corre à volta da rotunda.

 

Não terá mais de 35 anos, cabelo com puxo, fato de treino largeirão. Todos os dias corre à volta da rotunda. Não sei se por razões de saúde, simples vontade de correr, para limpar a alma. Continua rechonchuda e persistente. Roda, roda sem parar, todas as manhãs. Admiro-lhe a tenacidade, pois faça sol ou chuva, ela corre.

 

Há mais de um ano que a observo. Não sei porquê sinto sempre alegria de vê-la corada, resfolegante, sem parar. Já pensei bater-lhe palmas, dar uma palavra de incentivo, mas temo ser mal interpretado. A corrida dela é uma metáfora para a minha vida; sempre a mexer-me sem verdadeiramente sair do sítio.

Autoria e outros dados (tags, etc)

11 comentários

De redonda a 21.01.2016 às 00:50

Mas há mais de um ano, não estará só um bocadinho mais elegante? Assim é que não vou pensar mesmo em começar a correr...

De Fernando Lopes a 21.01.2016 às 18:56

Não te sei dizer, apenas que continua gorducha. Pode não correr por razões estéticas, antes apenas pelo simples prazer de correr. Ao que vejo no teu blogue, para a quantidade de restaurantes que frequentas, o melhor é preparas-te para a maratona. 
Image

De Fernando Lopes a 21.01.2016 às 19:59

preparaste. Erro meu.

De redonda a 21.01.2016 às 22:36

Estava a pensar em iniciar um exercício um pouco mais calmo, talvez xadrez :)

De Fernando Lopes a 21.01.2016 às 22:42

Estou encanzinado com este verbo. Não será preparaste-te? Eu sou adepto de desportos mais radicais como «levantamento de copo». 


Image

De redonda a 21.01.2016 às 23:22

Iria para o "preparares-te"
(mas passei 1º aqui http://conjpt.cactus2000.de/showverb.en.php?verb=preparar-se)
(o levantamento do copo comigo não resulta, dá-me sono...)

De Maria Manel a 21.01.2016 às 13:54

Por acaso também admiro esses atletas da insistência. Contudo, não compreendo muito bem a interação com a poluição da cidade. Isto mexe-me com os nervos.

De Fernando Lopes a 21.01.2016 às 18:58

Tem um jardim, árvores, e os milhares de carros que circulam na rotunda. Costuma usar headphones, por isso barulho não ouve. Tens a poluição, mas esse é um inimigo invisível. Como fumador abstenho-me de comentar. ;)

De Carla a 27.01.2016 às 12:51

Tão ter-te reconhecido no Aventar, mesmo antes de confirmar o link. :)

De Fernando Lopes a 27.01.2016 às 13:27

Se isso significa alguma característica distintiva no modo de escrever, é o maior piropo que me podias "amandar" . :)

De Carla a 27.01.2016 às 13:44

Faltou lá em cima um «bom», «tão bom».


Claro que é! Sou uma leitora fiel do que escreves. :)

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • Fernando Lopes

    Sempre a considerá-lo sr. dr. soliplass. Digamos q...

  • soliplass

    Ora bem vindo seja às lides blogosmáticas, que sau...

  • Fernando Lopes

    Nunca nada é linear, então no amor é melhor nem fa...

  • Fernando Lopes

    Sempre certeira, Gaffe. Por essas e outras é que t...