Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Claro como água.

por Fernando Lopes, 11 Mai 14

Tempos atrás um amigo divorciado colocou-me perante o seguinte dilema: estava interessado numa rapariga, mas sempre que lhe ligava ou mesmo quando tomava ela a iniciativa nunca saíam sozinhos. Com toda a sinceridade expliquei-lhe que era um modo básico de defesa feminino, uma maneira de dizer gosto de ti, sou tua amiga, mas não tenhas ideias. Como não sou garanhão  – apenas tive meia-dúzia de namoradas a sério – estou casado há 21 anos e não sou particularmente atraente, ignorou o aviso e lançou a pergunta. Confessou-se desiludido por conselho certeiro ter vindo de tão fraca reputação.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

2 comentários

De Efeminúsculo a 11.05.2014 às 16:37

Ou talvez ela levasse companhia por não se sentir segura e temer ceder à tentação. Assim era um modo de se inibir quer dos avanços dele (prováveis) ou das possíveis (investidas) dela.Porque vontade até poderia não lhe faltar mas... Penso que uma mulher quando é lúcida e não vou dizer séria porque pressupunha que outras o não seriam, mas mais comedida e contida, se precavem de formas por vezes ridículas e antiquadas mas cada um sabe de si e olhe que ela (para mim) não seria parva de todo. No entanto também se gostava dele seria um bocado incómodo e quase embaraçoso para ambos a presença de um(a) terceiro. As pessoas têm de saber orientar-se e conter-se sozinhas. Assumir as suas responsabilidades e actos. Enfim... Casamentos de 21 anos ou mais vão sendo raros, parabéns! Depois o que importa é quem está ao nosso lado achar-nos quem quer e ama, o resto se somos o máximo ou mais modestos em beleza isso não importa o importante é o íntimo o interior ser belo. Bom resto de dia e de semana e tudo de bom!

De Fernando Lopes a 11.05.2014 às 17:28

Estamos a falar de pessoas de 40 anos, não propriamente de jovens, embora a paixão possua essa grande qualidade de nos devolver a juventude que julgávamos perdida. O rapaz tinha a obrigação de ter percebido. Agora sou um bocado avantesma, mas já fui sexy... nos anos 80. ;)

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback