Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As avenidas perfumadas de Huelva.

por Fernando Lopes, 3 Mar 14

Há uns anos atrás, numa visita a Huelva, o centro da cidade emitia um odor a Primavera, embora estivéssemos em Janeiro. Passados dois minutos notei que tão magnífico perfume, mais sublime do que o mais talentoso dos perfumistas conseguiria reproduzir, tinha origem num centro da cidade em que a árvore dominante era a laranjeira. As laranjeiras, muito verdes, com os seus frutos brilhantes, emitam fragrância que homem algum, tecnologia apurada, podem aprisionar num pequeno frasco. Uma enorme nostalgia, necessidade de ficar ébrio com os sons e odores da Primavera, apoderou-se de mim. Olho através da janela e tudo o que consigo pressentir é frio, húmido, triste, despojado. Vou sonhar que passeio pelas avenidas perfumadas de Huelva.

Autoria e outros dados (tags, etc)

12 comentários

De Alice Alfazema a 03.03.2014 às 21:58

Eu faço-te companhia, para ver se tiro este bolor de cima dos meus ombros.

De Fernando Lopes a 03.03.2014 às 22:39

Questão filosófica: Será que duas pessoas podem ter o mesmo sonho, ou será o sonho individual, pessoal?
Raios me partam com esta mania das perguntas.

De Alice Alfazema a 03.03.2014 às 23:22

Essa coisa das perguntas é tramada. :) Quanto ao sonho nunca tinha pensado nisso, mas acho que não é possível, talvez em casos de trauma, ou em situações onde hajam vivências parecidas, mas mesmo assim não devem ser iguais, apenas idênticos.

Para ouvires, enquanto passas pelas laranjeiras.
http://www.youtube.com/watch?v=TCXFcCnhbQA

De golimix a 04.03.2014 às 08:32

É que tanta chuva, humidade, nuvens, cinzento,... já chateia!!!

De Fernando Lopes a 04.03.2014 às 11:51

Vamos fazer como as aves migratórias; fujamos para onde está o sol.

De golimix a 05.03.2014 às 08:41

De henedina a 04.03.2014 às 20:51

Homem de pouca fé. Este fim de semana pode passear com sol pela ribeira ou pela foz.

De Fernando Lopes a 04.03.2014 às 21:31

Sou, de facto, um sem fé. Pior que o Inverno lá fora, é o que me habita por dentro.

De henedina a 04.03.2014 às 21:43

Olhe que não, olhe que não.

De henedina a 04.03.2014 às 23:25

A minha mãe costumava dizer que ao meu lado ninguem conseguia estar triste. O inverno dentro de mim não é habitual mas agora até pessoas que eu não conheço ou mal conheço me podem magoar, por isso, talvez eu possa sentir inverno dentro de mim. Fernando, desejo-lhe, por dentro, uma primavera suave ou um quente verão.

De Fernando Lopes a 04.03.2014 às 23:43

Obrigado, henedina . Há momentos quem que recebemos golpes que nos fazem questionar tudo: se vale a pena a verdade, integridade, coerência e outros valores em desuso. Depois, põe-se inverno cá dentro, certo que nada é eterno e que lutar e não desistir está na minha natureza.

Abraço.

De henedina a 04.03.2014 às 23:49

Força. Um abraço. A verdade, integridade, coerência não estão em desuso, apenas quem as usas não sobe. mMs pq subir? Quanto mais alto maior a queda. ;)

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...