Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A instabilidade como fonte de equilíbrio.

por Fernando Lopes, 27 Out 15

Sou por natureza um tipo inseguro. Metem-me medo as relações amorosas consideradas como inabaláveis. Casado há 23 anos, os braços invisíveis que suportam este longuíssimo afecto tremem mais que ramo de árvore em dia de ventania. Nada é certo na vida e em especial no amor. Não estou nada seguro que a minha mulher se não possa apaixonar por outro ou vice-versa. Os laços que nos unem são como que tecidos por uma aranha; suficientemente fortes para suportar o estrebucho agonizante de uma mosca, flexíveis o bastante para suportarem gotas de chuva, frágeis quanto baste para se romperem quando uma folha choca contra ela. Nada é certo, e talvez seja esse frágil equilíbrio tecido a quatro mãos a razão por que nos mantemos juntos. Personalidades opostas, visões do mundo diferenciadas, sentires quase sempre divergentes. Um antagonismo transformado em relação. Que no entanto, contra todas as expectativas, resiste.

Autoria e outros dados (tags, etc)

8 comentários

De Carlos a 27.10.2015 às 22:54

Os opostos atraem-se...Frase feita, mas verdadeira. :)
Que continue assim, a resistir.

De Fernando Lopes a 28.10.2015 às 12:45

Não tenha dúvida que o casamento é em muitos aspectos uma prova de resistência. :)

De pimentaeouro a 28.10.2015 às 00:40

Longa vida... instável é o meu voto.

De Fernando Lopes a 28.10.2015 às 12:47

Obrigado, João. Sabe bem o respeito que tenho por si e pela sua história, por isso o seu voto é-me particularmente querido.

De Genny a 28.10.2015 às 10:17

"Que no entanto, contra todas as expectativas, resiste."

Bom dia, Fernando! Image

De Fernando Lopes a 28.10.2015 às 12:48

Verdade, Genny. Nunca, ninguém, achou que fosse durar tanto tempo.

De Ana A. a 28.10.2015 às 11:42

"...as relações amorosas consideradas como inabaláveis."
Quem assim pensa é ingénuo, e por certo irá sofrer muito!
Por outro lado:
"Personalidades opostas, visões do mundo diferenciadas, sentires quase
sempre divergentes. Um antagonismo transformado em relação."
Com estes ingredientes, para mim, uma relação assim também seria uma fonte de sofrimento!
Reformule lá isso, pois acho que deve ter exagerado um bocadinho nos adjectivos. ;)

De Fernando Lopes a 28.10.2015 às 12:51

Olhe que não, olhe que não. Sabe o azeite e a água? Há também muita angústia e sofrimento, e um estranho mecanismo de compensação que funciona. :)

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback