Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A doença da juventude.

por Fernando Lopes, 12 Set 14

Ao meu lado estaciona um Fiat 500 com autocolantes cor-de-rosa. Como constatou um velho amigo, os carros de pobre dos anos 60 e 70 (Fiat 500 e Mini) são hoje sinal de status. A proprietária do veículo pop caminha à minha frente; é pequenina, loira, muito magra, usa  jeans justos, uma blusa moderna e aqueles sapatos de manco que agora são moda. Penso tratar-se de uma pita da Faculdade de Letras, mesmo aqui ao pé. Quando se volta, vejo a face enrugada de uma mulher muito perto dos sessenta anos. Não quero fazer juízos de valor, mas inevitavelmente me parece que  está em busca de uma juventude perdida. Que motivos terá para se vestir como rapariga de 20, até optar por um carro associado à mocidade? Poderá ser preconceito e penitencio-me, mas não consigo deixar de constatar que ser  jovem tornou-se de tal forma ditatorial que tentamos mimetizar os mais novos, desde a roupa até ao veículo que conduzimos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

7 comentários

De Ana A. a 12.09.2014 às 12:40

Se era magrinha, tudo lhe fica bem. E calças jeans são para todos (desde os cowboys)...E o carro não era dela! Foi a neta que lho emprestou! :)

De Fernando Lopes a 12.09.2014 às 13:18

Também me visto desportivamente, mas era incapaz de adoptar a moda dos miúdos de quinze anos. Cada um com seu jeito, respeito isso, mas não estaria a senhora a comprar a ilusão da juventude perdida? 

De bloga-mos a 12.09.2014 às 13:37

Fez-me lembrar um amigo muito magro e dado a maleitas de toda espécie que a caminho dos 60 decidiu gastar as economias numa Harley. Passou mais tempo com a máquina em cima dele do que on the road. Vendeu a coisa por tuta e meia e ainda hoje lhe chamamos o motard horizontal...

De Fernando Lopes a 12.09.2014 às 14:42

Gosto da tua participação nesta taberna. Tens sempre piada incisiva ou estória castiça a acrescentar.

De bloga-mos a 12.09.2014 às 17:31

A culpa é toda sua...

De golimix a 15.09.2014 às 21:50

Gostava de perceber essa moda das carcaças de carros antigos!

Quanto à senhora. Ó Fernando já que não se encontra o elixir....

De Fernando Lopes a 15.09.2014 às 22:13

Deve ser definido como retro-chique ou lago similar. A senhora NMHO limita-se a lidar mal com o envelhecimento. Sei que é duro, mas necessário encará-lo de frente.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...