Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

52 e depois?

por Fernando Lopes, 19 Fev 15

A última vez que festejei condignamente o meu aniversário foi há 12 anos. Desde então odiei cada aniversário, mais por ter uma idade que não condiz com a cabeça que pela idade em si. Sou em muitos pequenos detalhes tão ou mais irreverente que aos 30. Faço tudo o que fazia nessa idade. Acima de tudo odeio a respeitabilidade que os anos dão, porque não sou respeitável. Continuo a adorar farra como há 30 anos, a fazer as mesmas coisas, a ser essencialmente a mesmíssima pessoa.  E no entanto este aniversário que se aproxima não veio acompanhado da depressão e irritabilidade habituais. Aprendi a aceitar que mesmo com uns quilos a mais e cabelos grisalhos, nada muda verdadeiramente. Por estranho que soe, saber que a idade não me transformou em nada do que é verdadeiramente importante, tranquiliza-me. Das duas, uma: ou estou a ficar budista ou cheché.

Autoria e outros dados (tags, etc)

14 comentários

De Alice Alfazema a 19.02.2015 às 19:16

"Primeiro estranha-se depois entranha-se."

De Fernando Lopes a 19.02.2015 às 19:46

À parte uma ou outra limitação física - estou a usar óculos para te responder - acho que nos habituamos a distinguir o importante do acessório. Saber lutar contra a idade onde ela se impõe (a cabeça) é um pequeno passo. 

De golimix a 19.02.2015 às 19:31

Ou as duas coisas amigo.  Image


Esta mania de se achar que temos de nos vestir e comportar de determinada forma, com o avançar da idade, irrita!

De Fernando Lopes a 19.02.2015 às 19:49

O conceito «budista cheché» é divertidíssimo. 

De Gaffe a 19.02.2015 às 20:47

Meu caro amigo, creio que apenas se transformou em Homem.

De Fernando Lopes a 19.02.2015 às 21:29

Talvez, não sei bem. De qualquer maneira soa sempre piedoso vindo de quem tem 30. ;)

De Gaffe a 19.02.2015 às 21:57

Piedoso?!
Como se engana!

De bloga-mos a 19.02.2015 às 22:04

Nando, exijo pela boa saúde da nossa amizade a marca da droga que andas a tomar...

De Fernando Lopes a 19.02.2015 às 22:39

Camarada:
  1. - Pall Mall (40 por dia)
  2. - SuperBock (prefiro Erdinger, mas o preço upa,upa)
  3. - Todas as comidas com sangue (arroz de cabidela, papas de sarrabulho, chouriça de sangue, etc).
  4. - Francesinha de um café manhoso na Rua do Bonjardim com um molho «caliente».
  5. - Ocasionalmente uma botelha de Cardhu.
  6. - Ainda mais ocasionalmente um poff.

De henedina a 21.02.2015 às 03:42

E o blogue

De Fernando Lopes a 21.02.2015 às 11:21

O blogue é uma catarse. Conto-me coisas que partilho com os amigos que por aqui passam, e gosto da minha tasca assim, simples mas asseada.

De pimentaeouro a 23.02.2015 às 00:06

Com essa ementa podem vir a acontecer coisas desagradáveis.
É a partir dos 50 que a máquina começa a desafinar.
Se não tiver problemas - o que desejo - dou-lhe os meus parabéns.

De Fernando Lopes a 23.02.2015 às 19:01

Obrigado. O meu estilo de vida sempre foi este, estou demasiado velho para abdicar dele. E depois há um instinto suicidário que me acompanha desde sempre, talvez seja esse inconsciente a funcionar.


Abraço.

De pimentaeouro a 24.02.2015 às 00:50

Boa sorte e bons almoços.
Um abraço

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...