Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marie Le Pen, o futebol, o preto e o árabe.

por Fernando Lopes, 20 Nov 13

A xenofobia tem destas coisas. Depois de ter comparado muçulmanos a rezar na rua com a ocupação nazi de França, teve de engolir o sapo de os golos que apuraram a selecção francesa terem sido marcados por jogadores de origem senegalesa e argelina.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

8 comentários

De golimix a 20.11.2013 às 20:51

Ela merecia engolir a bola inteira!

De Fernando Lopes a 20.11.2013 às 20:57

A diversidade cultural e étnica é uma factor enriquecedor das sociedades. A integração nunca se faz sem problemas, mas a resposta não é certamente o racismo.

De alexandra a 22.11.2013 às 20:10

Falando de xenofobia, é terrívelmente voraz a xenofobia institucional:

http://politica.elpais.com/politica/2013/10/31/actualidad/1383248597_158835.html

De Fernando Lopes a 22.11.2013 às 20:21

Sabes, já tinha pensado que se a França é laica, e se fossem pelo proibicionismo, também as procissões, compasso e outras manifestações públicas de catolicismo teriam de ser interditadas. O arame farpado tem o valor simbólico de aprisionar; não deixa entrar nem sair.
E há tanto por aí...

De alexandra a 25.11.2013 às 20:23

O de França e as suas expulsões massivas tem sido um exercício de racismo absolutamente vergonhoso.
Esta mega vedação que referia antes, nos seus pormenores, leva um dispositivo chamado concertina (ai, com o apego que lhe tenho às concertinas de tocar), umas lâminas extremamente lesivas intercaladas que provocam rasgaduras nas carnes.

http:/ www.eldiario.es desalambre /persona-desangrado-alambre-cuchillas-Ceuta_0_199480715.html

Enfim, fica uma de humor neeeegro:

http:/ www.eldiario.es vinetas valla-Melilla_10_200279971.html

De Fernando Lopes a 25.11.2013 às 20:52

Obviamente que toda esta violência é intolerável num estado que se pretende de direito. Tenho uma posição menos dogmática sobre a emigração muçulmana na Europa ; como em qualquer movimento de massas há os que vivem e respeitam (mesmo que não concordem) com o local que os acolheu e os que delibradamente se colocam à margem, fazendo tábua rasa dos princípios que são a matiz europeia e se aproveitam do sistema. Esses, que se automarginalizam, não merecem o meu respeito, porque me (nos) não respeitam. Há muita área cinzenta por aí e nesse terreno florescem os populismos dos Le Pen desta vida.

De beirão a 25.11.2013 às 19:00

O medo que as sondagens de Marie Le Pen infunde nestas almas preclaras que aqui rosnam que os "bons" são de esquerda e, por oposição, os "maus" são de direita. Brilhante!
Não há pachorra para tanta tontice...

De Fernando Lopes a 25.11.2013 às 19:19

Não há bons nem maus, há o lado da tolerância e o da intolerância. Marie Le Pen não representa a direita democrática, e a tontice é comparar muçulmanos a rezar com a ocupação nazi.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

  • Anónimo

    Não volta?!Vá lá...Escrever faz bem...e ler também...