Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um indiano cheio de massa.

por Fernando Lopes, 25 Jul 13

No regresso a casa, enquanto aguardo pela passagem do semáforo a verde, ouço uma voz a meu lado:

 

- Desculpe, o Sr. é indiano?

- Não.

- Não me leve a mal, mas parece daqueles indianos ou marroquinos cheios de massa.

- Nem uma coisa nem outra. Sou só um português teso que gosta muito de praia.

 

Contou-me logo ali que era angolano, estava de férias e tinha aproveitado para umas consultas. Estava em pânico por lhe ter sido diagnosticado hipertensão. Trocámos impressões sobre os perigos da tensão arterial alta e uma pequena série de confidências sobre saúde. Despedimo-nos desejando felicidades, e vim dali a pensar como é simpática esta espontaneidade, numa sociedade em que toda a gente parece ter um pau enfiado no cu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

7 comentários

De golimix a 25.07.2013 às 19:42

Também gosto desta expontaneidade, que por acaso, aqui pela zona Norte não é assim tão rara.

De Fernando Lopes a 25.07.2013 às 20:40

No Porto, com fama de bem receber e genuinidade, este tipo de abordagem tornou-se uma raridade, até entre idosas tagarelas. ;)

De golimix a 27.07.2013 às 10:38

A sério?

Bem, se calhar como ando com um cão que ama pessoas, isso estimule mais o diálogo. Tenho ido ao Porto com frequência e tenho tido imensas conversas pela rua ;)

De Fernando Lopes a 27.07.2013 às 11:55

Um cachorro é um "desbloqueador de conversa" portátil. Eu sei porque um cão foi meu dono durante 14 anos. :)

De golimix a 27.07.2013 às 13:10

E o meu 13. Prometi que não ia ter mais cão nenhum!! E este agora me fez ver que é melhor não ficar prometendo coisas que à toa!

De O Abominável Careca a 25.07.2013 às 20:33

Numa sociedade em que estamos sempre de pé atrás quando somos confrontados com estranhos, não deixa de ser curiosa a abordagem e o(s) temas em questão. E sorte a tua que era simplesmente uma pessoa curiosa e se calhar um pouco naif e ainda bem!!!

Um abraço!

De Fernando Lopes a 25.07.2013 às 20:41

Eu acho é que ele vinha com tanto cagaço que tinha mesmo de falar com alguém. Mas foi giro!

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback