Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Confusão carnavalesca.

por Fernando Lopes, 11 Fev 13

Uns trabalham, outros não. O caos criado por Cavaco nos idos de 93 permanece até hoje. O feriado é gozado aleatoriamente, dependo da decisão das câmaras municipais, acordos colectivos de trabalho e até da vontade das empresas. Um belo exemplo: eu fico em casa, a minha senhora não, somos ambos trabalhadores do sector privado. Hoje e principalmente amanhã, estará o País parado, a fingir que trabalha, por vontade dos patetas que nos governam(aram). É assim tão difícil chegar a um consenso e, por uma vez, decidir se é feriado ou não, para todos, em todas as localidades?

Autoria e outros dados (tags, etc)

6 comentários

De marta-omeucanto a 12.02.2013 às 09:30

É verdade! Hoje o meu marido está de folga, a minha filha está de férias e eu tive que vir trabalhar. Apesar de se dizer que o fim da tolerância de ponto no Carnaval é só para a função pública, eu não o entendo assim. Feriado nunca foi, era tolerância de ponto. Deixou de ser, logo é um dia normal. Mas, a assim ser, e à semelhança do que fizeram com outros feriados, deveria ser um dia normal para todos. Mas os alunos continuam a ter férias e as autarquias acabam por conceder tolerância aos funcionários. Quanto ao sector privado, a maior parte dos patrões não vê com bons olhos que os empregados faltem para ir brincar ao Carnaval. O ano passado, tive que tirar um dia das minhas férias, para faltar neste dia. Este ano, com alguma relutância, vou descontar uma tarde. Mas muitos terão que trabalhar o dia todo, como se o Carnaval não existisse, enquanto outros se divertem. Mais uma vez, não há igualdade.

De Fernando Lopes a 12.02.2013 às 11:25

E que tal se encomendássemos um estudo ao FMI, e lhes déssemos previamente as conclusões? Parece que é moda.
De qualquer forma, uma boa tarde de festa ou descanso.

De raio-de-luar a 12.02.2013 às 10:16

Ninguém se entende mesmo. Eu também sou das que hoje trabalha. No entanto aposto que 90% está a gozar um pseudo feriado com direito a tolerância de ponto ontem, ou seja mini-férias. Ontem e hoje não apanhei trânsito e arranjei estacionamento em menos de nada. As ruas estão desertas, há montes de serviços fechados e na rádio ouvi falarem da greve da CP no dia de hoje, feriado.
O mais curioso é ver que a função pública, a tal máquina do Estado que se quer mais produtiva, continua a ter direitos a pontos e feriados fictícios. Um bom exemplo para o resto do país, como sempre.

De Fernando Lopes a 12.02.2013 às 11:30

É um feriado de faz-de-conta e pronto. Não se amofine, no intervalo pense que está numa praia paradisíaca, vai ver que o dia passa mais depressa.

De raio-de-luar a 12.02.2013 às 11:54

Por acaso há outras máscaras que me apoquentam mais que o falso feriado.
E com o frio que está, imaginar uma praia paradisíaca é um excelente exercício mental.

De Fernando Lopes a 12.02.2013 às 11:56

Vai então um bocadinho de para o resto do dia passar mais depressa.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback