Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cala-te, ó Fernando!

por Fernando Lopes, 6 Fev 13

Questionado por Ana Drago sobre o cuidado que se deve ter com afirmações como as de Ulrich sobre os sem-abrigo quando se aufere uma remuneração de 60.000 euros/mês, o ofuscante banqueiro disse algo do género:

"Preocupam-se com as minhas remunerações e não com as do Jorge Jesus, se calhar é porque isso tira votos."

Eu explico: a teu lado, o príncipe da Reboleira é um modelo de contenção verbal e demonstra a mais fina sensibilidade social. Tu, Fernando, não passas do Jorge Jesus da banca, assim a modos que para pior.

Autoria e outros dados (tags, etc)

4 comentários

De Uma Rapariga Simples a 06.02.2013 às 18:33

Devem andar a pôr alguma coisa na água desta gente. Mas que raio lhes passa pela cabeça?
Ou isso ou estão a perder de vez o respeito por nós.

De Fernando Lopes a 06.02.2013 às 18:59

O bisavô de Ulrich abriu a primeira casa de câmbios em Portugal. Não se pode falar com esta facilidade da pobreza quando se é rico há pelo menos, quatro gerações.

De O Abominável Careca a 07.02.2013 às 11:46

Olá!

Logo que estas declarações foram proferidas tive o cuidado e o sentido de oportunidade de via "feisebuque" tecer o meu comentário acerca da estupidez do "Ulrico"! E mais palavras para quê?! E como se diz "Não há duas sem três..." Vamos aguardar pela próxima tirada que deve estar para breve, porque como escrevi..."estas foram palavras de alguém que pediu emprestado agora imaginem-no como credor!!!"

Abreijos para todos!

De Fernando Lopes a 07.02.2013 às 12:37

Acho que estes tipos tipo são sempre arrogantes, como devedores ou credores. Está-lhes no ADN.

Abraço.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback