Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Noivas estrangeiras.

por Fernando Lopes, 28 Jan 13

Uma série de conhecidos têm mulheres ou noivas estrangeiras. Desde os clássicos países de leste, passando pela tropicalidade do Brasil, ao exotismo das Filipinas. Hesito se tal se deverá a uma espécie de globalização amorosa, à internet, ou à falta de mulheres interessantes em Portugal. Eu, que só tive de verdade duas mulheres na vida, tenho dificuldade em entender o que os leva a procurar o amor em tão distantes paragens. Percebo ainda menos como se pode ter a coragem – diria antes inconsciência – de meter na alcova, de quem não se conhece passado, ou cujas afinidades pouco mais são do que trocas de mails e chats. Depois, reflecti, e entendo-os bem. Nos dias de hoje, as mulheres portuguesas são na sua maioria, profissionais, independentes e livres, coisa que chega para assustar qualquer um. Assim, noiva estranha em País estranho, dar-lhes-á o conforto de outrora. Sai pouco, sociabiliza ainda menos. Reconfortado, chega do trabalho para um mar de ternuras e disponibilidade, mesmo que sejam de pechisbeque. Uma ilusão como qualquer outra, e se aqui ou ali, regada com um par de cornos, nada de muito diferente do que se estivessem casados com lusas moças, obrigados a limpar o rabo aos catraios, ajudar na janta, e ignomínia das ignomínias, ser obrigado a usar avental, enquanto com ciência aprendida, completam esse estranho puzzle que é encher a máquina de loiça com a mesma.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

4 comentários

De Alice Alfazema a 28.01.2013 às 07:19

Ainda não tinha pensado nisso, mas é capar de se verdade.

De Fernando Lopes a 28.01.2013 às 07:54

Não tenha dúvidas que mulheres independentes intimidam qualquer um, mais ainda se forem homens inseguros.

De Palavras Rasgadas a 28.01.2013 às 17:03

Nunca tinha pensado nisso, mas faz muito sentido! A portuguesa profissional ocupou o lugar da portuguesa dona de casa e há muitos homens que não se conseguem habituar a isso! Tal como acontece o contrário.

Parabéns pelo blog, gostei muito!

De Fernando Lopes a 28.01.2013 às 17:52

Como dizia um amigo meu, os papéis de género já não são o que eram. Estava ele a estender roupa, e a vizinha do prédio em frente a arranjar a persiana! :)

E muito obrigado pelos imerecidos elogios.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback