Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Se me amas, diz-me a tua password.

por Fernando Lopes, 4 Jan 13

Um interessante artigo no Público que peca pela confusão frequente entre intimidade e privacidade. Mesmo nos espaços de intimidade, a privacidade é coisa de que não abdico, no mundo real ou digital. Um casal não deve ter segredos é um postulado profundamente falso. Todos temos segredos. Podem ser inócuos, patetas, inconsequentes, mas reflicta: diz tudo o que pensa ao seu parceiro? Partilha com ele todas as minudências do seu passado? Ninguém poderá responder afirmativamente a esta questão sem, pelo menos, se enganar a si próprio. Existe sempre um espaço de reserva, só nosso, que comummente designamos por privacidade. No ciberespaço a questão é a mesma. Não sou "amigo" da minha mulher no facebook porque não me interessa coscuvilhar sobre os seus velhos colegas do colégio ou com quem e sobre o quê decide falar. É o seu mundo, como este é o meu. Casais que partilham tudo acabam por não reservar para o seu espaço íntimo o verdadeiramente importante. Saber a password do companheiro é uma espécie de "Feios, Porcos e Maus" em versão digital, em que duas pessoas dividem a mesma casa de banho e ninguém se preocupa em bater à porta antes de entrar. Já não é partilha, é mau gosto.

 

P.S. - "Todos temos três vidas: a vida pública, a vida privada, e uma vida secreta." Gabriel Garcia Marquez

Autoria e outros dados (tags, etc)

6 comentários

De Uma Rapariga Simples a 04.01.2013 às 09:25

Verdade, tomos nós temos aquela gaveta (ou armário) só nossa. Tem de ser assim e tem de se deixar que a outra pessoa também tenha. É uma violência muito grande essa partilha excessiva, porque nem toda a gente sabe respeitar o que é do outro.

Pessoalmente obrigo-me a isso, detesto quando a minha mãe me manda ver o email dela, sinto-o como uma intromissão; nunca abri a correspondência dos meus pais e sou incapaz de entrar no fb dos meus irmãos, mesmo com a password gravada no pc - se acontece entrar e eles terem a sessão aberta, nem olho, sigo directa para o encerramento.

De Fernando Lopes a 04.01.2013 às 11:14

Para dar um ar culto à coisa, um anglicismo: "great minds think alike". O meu tipo de actuação é exactamente igual à tua.

De O Abominável Careca a 04.01.2013 às 13:41

Boas Tardes,

Depois de ler este post não podia incólume a possibilidade de estar mais uma vez em total desacordo com a tua opinião. Mas vamos por partes. Em primeiro lugar estou completamente à vontade em partilhar códigos e passwords com a minha mulher sejam eles de redes sociais, e-mails ou mesmo outro tipo de sites de interesse familiar, vulgo bancos on-line. Em segundo lugar ela faz rigorosamente o mesmo sem prejuízo de qualquer "coscuvilhice" ou intromissão ilegais. Em terceiro lugar nenhum dos dois possuí "macacos" ou outro tipo de bichos no armário passíveis de serem uma afronta ao normal funcionamento do casal e à respectiva sã convivência. Quarto e último ponto, como cá em casa só existe uma única casa de banho a mesma tem que ser partilhada sem constrangimentos de qualquer espécie respeitando sempre a privacidade pessoal e os tempos de uso de cada um.
Sei que pode soar estranho este tipo de posturas entre pessoas a viver sob o mesmo tecto a terceiros, mas na realidade é e sempre foi assim que tudo funcionou por estas bandas e sem razões de queixa entre os envolvidos!

P.S. Amanhã a postura poderá mudar bastando para isso que uma das partes não tenha um comportamento consentâneo para com o outro ou então que se celébre um fim de contracto tanto em voga nos dias de hoje, vulgarmente apelidado de divórcio! Até lá iremos manter tudo inalterado porque se tudo funciona na perfeição há mais de vinte anos para quê mudar?! " Em equipa vencedora não se mexe"...;)

Abraços e bom trabalho enquanto o mesmo existe!

De Fernando Lopes a 04.01.2013 às 14:13

Aceito com estranheza a tua opção, Se convosco funciona para quê mudar?

De Anónimo a 04.01.2013 às 16:12

Olá Fernando
Concordo perfeitamente contigo. Todos nós necessitamos do nosso espaço e privacidade e se com o primeiro namorado achamos que se não contarmos tudinho, tudinho estamos a faltar à verdade, a idade e experiência diz-nos que não não queremos saber tudo do nosso companheiro nem queremos que ele saiba tudo sobre nós e vivemos felizes e em harmonia(quase sempre...)
beijos e bom fim de semana
mm

De Fernando Lopes a 04.01.2013 às 18:51

Nunca ninguém conta tudo. Aparentemente há quem, como o Abominável, partilhe quase tudo. Aqui em casa apesar de termos as mesmas passwords, nenhum de nós mexe no computador do outro sem autorização e na base da confiança, sem nunca cuscar como a Rapariga Simples. Suponho que cada casal encontrará o seu equilíbrio.

Beijo.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...