Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Centralismo à moda do Porto

por Fernando Lopes, 10 Out 12

Com a previsível vitória de Luís Filipe Menezes nas próximas eleições autárquicas, volta a ser tema de discussão a possível fusão das cidades de Porto e Gaia. Existe um certo snobismo dos tripeiros, que não conseguimos ocultar. Para a maioria de nós, o outro lado do rio ainda é sinónimo de periferia, caos urbano e fraca qualidade de vida. Assim foi nos idos de 60, 70 e 80 quando adquirir habitação na antiga vila era sinónimo de calvário no trânsito e habitação de menor qualidade. Hoje a realidade é completamente diferente. Tenho consciência que esta proposta traria inúmeras vantagens a ambos os lados. Com uma mole de habitantes triplicada, Porto-Gaia poderia afirmar-se como uma grande urbe ibérica e até Europeia. Existem imensas sinergias a potenciar e ganhos de escala. Até aqui tudo bem, não sou contra nem a favor da fusão, cumprirá aos munícipes decidir.

Mas existe em nós uma secreta ambição, a de nos tornarmos, de facto, a capital do norte. Aproveitar as ligações históricas à Galiza e reforçar as relações e poderio do norte peninsular. Pode fazer sentido económico, mas não estou certo de que não sofreríamos dos mesmos vícios da capital, secando pequenas cidades à nossa volta. O "grande norte" é muito mais interessante para nós que para os habitantes de Braga, Guimarães, Viana, Chaves ou Bragança. Temem, justificadamente, que nos tornemos sobretudo, um consumidor de recursos e não um potenciador de igualdades. Existe forte possibilidade de estarem carregados de razão. Não somos assim tão diferentes dos lisboetas. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...