Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

mulheres

por Fernando Lopes, 20 Jul 12

Correndo o risco de me espalhar ao comprido, teorizo. Ao contrário de uma ideia pré-concebida, as mulheres são menos tortuosas do que os homens, excepção feita à área amorosa. Uma mulher tem menos medo em se expor, dar a sua opinião, contra-argumentar, mostrar sentimentos. Juntam em doses similares, razão e afectividade. Nós homens, somos mais facilmente categorizáveis: racionais ou biliosos. Continuo a ter enormes dificuldades em compreender as mulheres. Fui criado pela avó, tive uma namorada durante imenso tempo, sou casado há dezanove anos, pai de uma encantadora menina. Em nenhuma delas encontrei algo que se assemelhasse aos masculinos maus-fígados, uma certa maldade intrínseca, existente em alguns homens, que medra e os torna seres repelentes, prontos a esmagar o mais fraco, numa espécie de animalidade das cavernas que insiste em nos perseguir. Talvez tenha sido um fenómeno de pura sorte e as mulheres malévolas e rebuscadas insistam em se afastar de mim. Certo é que guardo do sexo feminino uma imagem muito mais positiva, em termos humanos, do que do meu próprio género. Os contributos para esta minha mísera teoria podem ser dados na caixa de comentários. Talvez me dêem renovada fé ou me provem que sou profundamente ingénuo e um bocado parvo. Alea jacta est.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

8 comentários

De Maria Alfacinha a 20.07.2012 às 10:23

E eu vou lá contrariar a teoria?? :-)
(bom fim-de-semana, mesmo em férias)

De Fernando Lopes a 20.07.2012 às 11:13

Maria, repare que a teoria se refere apenas à maldade inata. No resto, há mulheres muito retorcidas. Depois de 49 anos, continuam a ser um mistério para este macho. ;-)

Bom fim de semana e boas férias.

De Anónimo a 20.07.2012 às 12:28

Fernando,
Tu é que tiveste sorte, porque as mulheres são, excepções à parte, retorcidas e maldosas, mas não mais que os homens. Faz parte da natureza humana. Nós é que temos que saber afastar-nos de quem não interessa e aproximarmo-nos das excepções.
E quanto a compreender as mulheres, desiste, eu sou mulher e nem a mim às vezes me compreendo...
Beijos (e tb gostava de estar de férias)
M

De Fernando Lopes a 20.07.2012 às 13:16

Repara que a teoria é absolutamente empírica. No entanto, acho que o sexo feminino, enquanto juiz de si mesmo, é demasiado severo. Uma dose de "complacência de género" seria apropriada, digo eu.
E já não estou de férias, comecei a trabalhar na 2ª
:-(

Beijo e bom f-de-s !

De Ana A. a 20.07.2012 às 13:10

"Talvez tenha sido um fenómeno de pura sorte e as mulheres malévolas e rebuscadas insistam em se afastar de mim."

Fernando

Pelo que eu conheço dos seres humanos, acho que é mais isso: pura sorte! De resto não acredito em generalizações, seja de género, raça, etc., etc.

Abraço
Ana

De Fernando Lopes a 20.07.2012 às 13:20

Ana,
Talvez me tenha expressado mal, mas o que eu queria dizer é que existe uma certa, e perdoe-me as palavras , malevolidade animal, nos homens, que tenho dificuldade em encontrar nas mulheres. Mas, claro está, posso estar profundamente errado. Já me tem acontecido.

Abraço,
Fernando

De Cláudia Neto a 20.07.2012 às 22:16

Certa de que as mulheres que cruzaram e cruzam a vida do Fernando farão a diferença. Nós mulheres, somos do mais imprevisível que possa existir…e em todas as áreas . Digo eu ;)

De Fernando Lopes a 20.07.2012 às 23:39

E não é esse um dos grandes encantos do belo sexo? E é bem verdade que sou um enorme sortudo, tanto nas (poucas) companheiras que tive, como nas amigas.

Abraço,
Fernando

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...