Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Nós, o sexo fraco

por Fernando Lopes, 8 Mai 12

Os homens são em geral e contrariamente ao que apregoam, extremamente inseguros em relação à sua "performance" sexual. Reparem que coloquei performance entre aspas e  itálico, pois recuso que a minha actividade sexual seja comparada com um carro de corrida. Amar alguém em busca de recordes de orgasmos ou de tempo de duração do coito não faz o mínimo sentido. Desvirtua o acto, que passa a ser a três: eu, a parceira e o ego, como se alguém estivesse a espreitar, pronto a explodir em Vivas!Olés! após a relação sexual.

 

Têm também os homens traumas que passam de geração em geração, como que embebidos no código genético. A pergunta primeira relaciona-se sempre com o tamanho da varinha. Qual o tamanho aceitável para se fazer magia? A varinha do vizinho é maior do que a minha? O segundo trauma está relacionado com a duração do acto sexual. Os outros fazem amor durante 5 minutos, uma hora ou uma noite? Quanto é normal, quanto é bastante? Estes mitos prendem-se com o consumo excessivo de pornografia durante a adolescência. Seremos capazes de comparar tamanhos com John Holmes e ser um fundista sexual?

 

Convenhamos que nestas coisas de sexo, o masculino é brutalmente desfavorecido. Precisa de a) ter uma varinha b) pô-la de pé c) aguentar neste "estado feliz" o máximo de tempo, até empalidecer devido ao facto de todo o fluxo sanguíneo se concentrar no falo. Somos sexo fraco, orgânica e psiquicamente, com a cabeça cheia de mitos e inseguranças, o nosso único porto de abrigo é uma companheira colaborante, atenciosa, que transmita segurança. E que as há, há ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

8 comentários

De Ana A. a 08.05.2012 às 19:10

Ufa... respirei de alívio com a última frase! ;)

Agora a sério. Sabe que desde miúda que eu sempre afirmei que ainda bem que nasci mulher, pois sempre achei "o mundo" do homem muito complicado, e certamente esse é um deles. Mas convenhamos, em abstracto a nossa cabeça complica demais o que é simples, sejamos homens ou mulheres. O que importa é ter a "sorte" de encontrar aquela ou aquelas pessoas que nos fazem sentir os melhores do mundo, e o amor está aí para isso!

Abraço
Ana

De Fernando Lopes a 08.05.2012 às 19:20

A Ana já sabe que sou como os malucos, digo tudo o que me vem à cabeça. (note a pouca felicidade da expressão neste contexto) ;)

No universo masculino existe uma capacidade de gabarolice quase infinita. Depois todo o sexo que vemos na adolescência é fantástico. A nossa primeira vez, se ambos os parceiros forem inexperientes é sempre uma atrapalhação. Excepto nos filmes.

E depois existe a pornografia, que nos formata, e onde "glandes" actores, fazem grandes proezas. E isso influencia a percepção do sexo desde jovens.

No fundo somos uns miúdos amedrontados, que sem a mulher amada não faríamos mais do que patéticas figuras.

Abraço,
Fernando

De bibónorte a 08.05.2012 às 21:47

Caro Feranando
Parabéns pelo post e pelo comentário. Poucos são os homens capazes de se exporem com tanta sinceridade.
Abraço

De Fernando Lopes a 08.05.2012 às 22:24

Obrigado, bibónorte . Procuro ser seguro nas minhas inseguranças. ;)

Abraço

De O Abominável Careca a 08.05.2012 às 22:20

E para acabar,

Não te preocupas com factores anatómicos, duração e intensidade no que concerne a actos, desde que tires e dês prazer a quem te acompanha nessa quimera que é o sexo no casamento, o resto são estatísticas para os estudiosos do assunto que em vez de "practicarem" o dito com regularidade, só se ocupam de todas as questões a quem mais ninguém interessa!
P.S.: Quando estiver contigo dou-te uma dica acerca do que é na realidade o "nirvana" masculino, na opinião de alguns, no que diz respeito ao acto sexual propriamente dito...
E lembra-te mesmo que estejas com dores de cabeça ou de estômago cheio nunca mas mesmo nunca desperdices toda a oportunidade...;)

De Fernando Lopes a 08.05.2012 às 22:27

Como homem sabes como os files porno deformaram e deformam a perspectiva adolescente. Quanto a dicas, estou sempre disponível para os teus sábios palpites! :)

De MManel a 10.05.2012 às 00:19

Por alguma razão que ainda não percebi,(deve ser o antivírus), quando abro a página do DP no computador do escritório, onde "moro" dia após dia, só consigo ver os comentários. Nada de tema nem da imagem ilustrativa :-(
E então hoje, é o sexo fraco ...
Parece-me a mim que a questão referida é a constatação final de um sentimento que acabamos por partilhar todos, quanto a uma certa agora chamada resiliência, outra capacidade de resistir às "intempéries" que temos nós as mulheres.
Mas se pensam que é uma grande vantagem, eu acho que é uma engano. Paralelamente a esta faculdade, cresce um sentido de responsabilidade muito próprio e um sempre seguir em frente que é por vezes muito desgastante.
(ando muito pé na terra... É a conjuntura que não me larga!)

Bj

De Fernando Lopes a 10.05.2012 às 00:28

Resiliência é palavra de economista ;-)
Este post é só um desabafo sobre inseguranças que serão as dos homens, porque é o meu ponto de vista. Um homem sem uma mulher do seu lado, a apoiá-lo e a transmitir conforto e segurança, até no sexo, é um barco à deriva.
O resto é conversa para boi dormir ...

Beijo e arranja-me esse computador s.f.f!!

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...