Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ainda os Deolinda ...

por Fernando Lopes, 5 Fev 11

A esquerda caviar encontrou o hino que faltava. A direita a justificação para a liberalização dos despedimentos. A esquerda a luta contra os "instalados burgueses". A direita a coberto do apoio à juventude renova as suas empresas com mão de obra barata.

Lançar novos contra velhos, empregados contra precários, é o objectivo (não muito) escondido. Para eles (por eles, entenda-se quem nos governa e quem nos emprega) a "guerra" traduz-se em produzir mais, minorando os custos do trabalho. Ninguém se lembrou que alguns destes sacrificados estudantes são impreparados ou licenciaram-se em especialidades para as quais não existe mercado de trabalho. Estudaram em universidades de má fama. À la Sócrates. Sempre houve e sempre haverá maus trabalhadores. Acomodados. Habituados a anos e anos de serviços mínimos. O que há a fazer é não entrar em dicotomias parvas. Exigir melhores e mais justas condições para todos. Lutar para que a distribuição de rendimentos do trabalho seja mais equitativa .
Sem demagogias geracionais.

Um grande número de pais ambicionou (legitimamente) ter os seus filhos doutores fosse no que fosse. Esqueceram-se que hoje em dia um electricista ambicioso e trabalhador ganha mais do que a grande maioria dos doutores.

Já disse. Agora podem distribuir porrada à vontade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

6 comentários

De Fenix a 05.02.2011 às 12:55

Fernando

Eu não tenho um curso universitário, nem sequer qualquer frequência de um, mas não duvido que nas universidades se podem adquirir ferramentas mentais para poder ser-se um bom executante, seja em que área for. Por isso, acho que um bom electricista, não necessitará por certo de frequentar uma universidade, mas talvez fosse bom que nos ensinos obrigatórios, fossem dadas estas ferramentas.

Quanto às guerras, elas têm o seu tempo contado, como tudo na vida, mas é necessário que elas aconteçam para haver um despertar para o que é realmente importante, seja na política ou na sociedade. É esta a minha convicção.

Abraço
Ana

De Fernando Lopes a 05.02.2011 às 15:31

Ana,

A não ser em áreas tecnológicas as faculdades estão completamente desadaptadas à realidade laboral.
É uma intuição, não uma certeza, que já la passei há mais de 20 anos.
E o adversário é comum às gerações, não se pode colocar esta guerra como uma guerra geracional.

Cito o meu professor de Lógica, já falecido, o Prof. Sardo:
- Estudei nas melhores universidades do mundo, tive os melhores mestres do mundo. Não me serviu para nada! Não sei nada!

Dizia ela com uma humildade e um sentido de humor muito peculiares.


Abraço,
Fernando

De pedro a 05.02.2011 às 22:00

Caro Zé n podia estar mais de acordo qnd afirmas q nos dias de hoje mais vale ter um curso c/competências técnicas em áreas como a electricidade ou construção do q uma licenciatura ou bacharelato numa qlqr área de ensino (direito, ecónomia, psicologia, etc...) ministrado por uma qlqr faculdade ou instituto de qualidade duvidosa. é de estranhar realmente a ilegal apropriação do(s) tema(s) dos Deolinda por parte de certo partidos políticos, como foi o caso do PC por alturas das eleições presidenciais...Qnt às ambições parentais em relação aos filhos tenho a impressão q nesta altura do campeonato elas já se esfumaram face à realidade actual! E lembra-te q este país continua com francas prespectivas de real crescimento e felicidade pr tds os seus cidadãos, pelo menos este é o discurso oficial desse pinóquio de seu nome José Sócrates...:)

De Fernando Lopes a 05.02.2011 às 22:27

Pedro,

Com sabes existe procura por determinadas especialidades técnicas, até na Alemanha.
O problema é que a maior parte dos precários licenciou-se em artes, literatura etc. que são cursos respeitáveis, mas de baixa empregabilidade.
Além disso as universidades privadas têm muito poucos cursos tecnológicos, porque a estrutura necessária é caríssima.Não esquecer que as universidades privadas são um negócio e não lhes compensa gastar milhões em laboratórios ou infraestruturas tecnológicas.

Daí que abundem os cursos de direito e humanidades porque apenas precisam de uma biblioteca e professores de nomeada.

Abraço,

De Anónimo a 17.02.2011 às 15:24

A censura existe..Porque razão as rádios não passam a canção dos Deolinda , assim como não passaram nem passam as canções do Paco Bandeira(TGV) e a dos Xutos que fala sobre o 1º ministro?
Só há uma razão , a CENSURA existe, os média estão vendidos á censura de Sócrates.
JNunes

De Fernando Lopes a 17.02.2011 às 16:13

Caro JNunes,

Acredito que exista censura. Pior ainda, existe a auto-censura, em nome de valores duvidosos com a preservação do posto de trabalho, gestão de conflitos etc.

Não será preciso dizer, mas digo-o à mesma, sou contra qualquer forma de censura.

Abraço,
FL

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...