Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Membros

por Fernando Lopes, 16 Jul 11



Quando iniciamos um blogue, tudo é novidade. Decidi que este seria um blogue sem tema. É que eu também sou um tipo sem assunto. Seria de pensamentos avulso, o mais espontâneos possível. Com o risco que tal atitude acarreta, tomei a decisão de não burilar os textos. Tinham se ser instintivos, sentidos. Em detrimento de um português mais apurado achei que devia ser acima de tudo natural. Escrever como falo.

Hoje ao abrir o blogue passei pelos rostos que tiveram a desfaçatez de mostrar publicamente que lêem isto. Conheço-os pessoalmente a quase todos. As duas únicas pessoas que seguem o purgatório e que nunca vi também já as considero amigas. A Fénix já se expôs, discordou, deu ideias, participou em discussões, animou-me em momentos de depressão, uma verdadeira amiga. A Paula é do tipo silencioso. Ocasionalmente escreve belos contos no Uma espécie de mim. Participou poucas vezes, mas sempre com generosidade e assertividade. Gostei que tivessem mudado o nome do widget de Seguidores para Membros. Não sou profeta, nem quero ter seguidores. Mas agrada-me a ideia de sermos membros de uma comunidade de amigos que na pluralidade encontram algo que os une. A amizade não se agradece, mas obrigado por serem meus amigos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

10 comentários

De Fenix a 17.07.2011 às 00:05

Fernando,

"Mas agrada-me a ideia de sermos membros de uma comunidade de amigos que na pluralidade encontram algo que os une."

Esta frase sintetiza o que idilicamente eu desejaria que fosse o Mundo!

E se o Purgatório representa isto, deve-o ao Fernando pela sua sensibilidade e carácter.

Parabéns pois, e Obrigada!

Abraço
Ana

De Fernando Lopes a 17.07.2011 às 01:05

Ana,

Fez-me lembrar o episódio do japonês.

Numa visita a Barcelona um casal japonês pediu-me para lhes tirar uma fotografia nas Ramblas. Perguntei-lhe se estavam a gostar e num inglês estranho disseram-me que era a primeira visita à Europa. Tirei a foto. Ele agradeceu fazendo a tradicional vénia japonesa e eu retribui. Ele agradeceu de novo e eu voltei a retribuir. Ao fim de 5 ou 6 agradecimentos e retribuições, tive de dizer:
- Ó malta vamos embora senão ficamos aqui até amanhã!!!


Abraço,
Fernando

De MManel a 17.07.2011 às 16:15

Hei!
Curti:-)
Gosto de escrever no teu blogue.
Acho que além da troca de ideias, estamos a conviver, aproveitando a vantagem de podermos ir encontrando bocadinhos de tempo, nesta vida de malucos e ultrapassando os limites do espaço físico.
Acrescento que é importante também saber que há sempre a recepção e eventual respostaà minha opinião e que não estou apenas a "afixar" pareceres num jornal aberto, mas ser saber de que caserna...

Bjts

De MManel a 17.07.2011 às 16:17

Um pormenor:
Por vezes vejo posts antigos aos quais me apetece pôr um comentário.
Lês à mesma?



Bjts

De MManel a 17.07.2011 às 16:19

"mas ser saber de que caserna", deve ler-se "mas sem saber de que caserna", please...

De e a 17.07.2011 às 18:49

fernando,

Uma boa ideia.

continua

um abç

e

De Fernando Lopes a 17.07.2011 às 19:10

Manel,

A tua formação e opinião já me foi muito útil, e ajudou-me a esclarecer dúvidas. Neste mundo em que "os preços saltam por cima dos mercados" como diz o Obélix, tendo muitas vezes a ser mais emotivo do que racional. Tu como velha amiga já sabes que sou assim.
Ao escreveres um comentário "dispara" um e-mail. Por isso podes comentar tudo o que te apetecer que eu leio sempre.

Beijo,

De Fernando Lopes a 17.07.2011 às 19:22

E,

Há quem tenha uma peixeira ou um padre "aprisionados dentro de si". Tu tens um revolucionário. Já reparaste que quando me dá o furor revolucionário, estás sempre de acordo e pedes mais? ;)

Abraço,
Fernando

De e a 17.07.2011 às 23:55

Fernando,

não tenho nenhum furor revolucionário dentro de mim, mas o que se passa é que custa-me imenso ver, viver e conviver com várias situações que voltaram a acontecer e que julgava eu, depois de ter visto e vivido determinados momentos menos bons que isso jamais voltaria a acontecer porque quem comanda os destinos dos povos aprenderia ... enganei-me totalmente, e é isto que causa-me alguma angustia porque independentemente da posição socila, raça, religião , blá, blá, blá somos seres humanos e ...

um abç
e

De Fernando Lopes a 18.07.2011 às 00:02

Amigo,

Queiras ou não, estás na minha lista de "revolucionários a contactar". É a praxis que define o indivíduo como bem diziam os marxistas.

Abraço,
Fernando

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...

  • Anónimo

    Não volta?!Vá lá...Escrever faz bem...e ler também...

  • Anónimo

    Que será feito do gerente desta coisa?Filipe em es...