Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Bruxo

por Fernando Lopes, 5 Nov 11


O bruxo tinha ar de beato. Baixo, cabelos brancos e voz nasalada, falava sempre no mesmo tom. Era suposto ter um qualquer dom que lhe permitia exorcizar fantasmas, traumas e maus olhados. Porque pressentiu terreno pouco fértil para as suas aldrabices, nunca ousou interpelar-me que não para uma conversa informal. Dezenas de enganados acreditavam na sua mediunidade, na capacidade de fazer trabalhos que só um psiquiatra seria capaz. Mandou-os andar às voltas em igrejas esconsas, repetir rezas arcaicas, beber água inquinada, apanhar lagartixas.

As minhas desconfianças tornaram-se realidade. O bruxo não passava de um reles abusador. Descoberta a marosca e um par de estalos depois, o místico foi pela sarjeta abaixo. Que é o local onde os ratos devem estar.

(Inspirado numa história verídica)

Autoria e outros dados (tags, etc)

2 comentários

De Moriae a 05.11.2011 às 11:53

Mas que história! Bem aplicados, esses estalos!

Abraço

De Fernando Lopes a 05.11.2011 às 12:14

Ficarias surpreendida com quanta gente boa acredita em tretas deste género. Até amigos meus em situações pessoais e afectivas complicadas já recorreram aos bruxos e afins. Acho que o desespero é terreno fértil para estas fraudes.

Abraço,
Fernando

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...