Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Homem (Manual de Utilização)

por Fernando Lopes, 18 Jan 12

Muito se reflecte sobre a complexidade das mulheres. São multi-tarefa, mães, amigas, amantes, confidentes. A nossa perplexidade sobre o género feminino é tal que Manuel Jorge Marmelo, escreveu "As mulheres deviam vir com livro de instruções".  Nós os homens somos bem mais simples. Se analisarem friamente o "sexo forte", como os cães, move-se essencialmente por três tipos de estímulos, a saber:

1 - O homem gosta que lhe passem a mão pelo pêlo (impossível com o NAO). O (aparentemente) mais seguro dos homens é um mariquinhas, sempre com medo que não gostem dele. A maioria é infinitamente mais frágil do que as fêmeas. Por isso, passe-lhe a mão pelo pêlo. Diga-lhe quão inteligente, bonito e culto ele é. Mesmo os que sabem que não possuem nenhuma dessas qualidades, fingirão que é verdade. Abanarão a cauda, contentes, disponíveis para anuir a todas as suas ordens sugestões.

2- Um homem precisa de brinquedos e tempo para brincar. Nós nunca crescemos. Às vezes brincamos com carros, com livros, com gadgets. Para manter o seu homem feliz basta valorizar os seus brinquedos e partilhar a sua alegria. É o equivalente ao jogo do "busca" canino. Mostrar-se entusiasmada com aquele telemóvel que ele comprou ontem, proporciona-lhe segurança e afecto. Mesmo que não se interesse por telemóveis, finga por 2 minutos. 99,9% dos homens não se vai aperceber.

3- O homem, tal como o cão, valoriza a ração. Diz o ditado "os homens conquistam-se pelo estômago". Tal não é inteiramente verdade, mas o seu animal homem, como todos, adora paparoca. Ocasionalmente e para o manter satisfeito, troque a ração habitual de douradinhos e puré por um arroz de pato à antiga. Durante semanas vai propagandear aos amigos a sua habilidade culinária. Usar com moderação, sob pena de estar a criar uma raça hiper-nutrida.

Claro que estas dicas não são universais. Tal como nos cães existem várias raças de homem. Desde o pinscher que ladra muito e não faz nada, passando pelo sempre alegre mas glutão labrador, até ao bullldogue inglês, pachorrento, que ressona 80% do tempo. Compete-lhe adaptar as instruções acima às especificidades do seu animal companheiro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

6 comentários

De Fenix a 18.01.2012 às 18:34

Gosto (também) muito da versão humorística do Purgatório...


Abraço

De Fernando Lopes a 18.01.2012 às 18:59

Cara Ana,

É uma desmancha prazeres! :) Estava a espera que me chamasse machista por pressupor que só as mulheres cozinham. Eu sei fazer tostas mistas e pizzas no forno! Aí poderia desenvolver a minha teoria. Não sou machista mas "masculinista". A defesa de género iria por aí fora, a tentar provar quão diferente é o "masculinista" do machista. Um destes dias vou escrever sobre o "masculinismo".

Grande, grande, abraço
Fernando

De Fenix a 18.01.2012 às 19:24

Caro Fernando,

A culpa é sua por não usar máscaras! Daí que seja relativamente fácil reconhecer o humorista que há em si...

E sim, acho que deve escrever sobre o "masculinismo" que é a versão inteligente e despreconceituosa do machismo (que eu abomino)!

De Fernando Lopes a 18.01.2012 às 19:52

Tem razão. Sou péssimo a inventar qualidades que não possuo. Como sabe, o facto de ter sido criado com a minha avó matou o chef escondido em mim. A avó era absolutamente territorial em relação à cozinha. Deu no que deu, um rapaz cheio de qualidades que não sabes estrelar um ovo.

"Masculinismo" é uma visão do mundo por um homem, consciente dos seus defeitos, qualidades e principalmente do que nos diferencia do sexo feminino. E viva a diferença!

Abraço,

De bibónorte a 18.01.2012 às 22:06

Caro Fernando
Nunca conheci ninguém que fizesse uma descrição tão bem humorada e tão fiel(eheheh...)

De Fernando Lopes a 18.01.2012 às 22:33

bibónorte,

Os homens são seres simples que se contentam com um pouco de atenção. O paralelismo não é de todo inocente, pois sempre fui um cinófilo. Partilhamos a vida com um cocker spaniel durante 14 anos, que está sempre na minha memória. Era mais ao menos ver-me ao espelho com orelhas compridas!!

Abraço,
Fernando

P.S. - Ao contrário do Fred, não consigo lamber os tintins. Sempre que tento, caio abaixo do sofá! :))

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...