Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Trabalho há ...

por Fernando Lopes, 18 Jan 11

 
Trabalho há. O emprego é que escasseia. Numa curta visita ao Shopping Cidade do Porto, deparei com quatro anúncios como este, apenas num piso.
Não tomando a nuvem por Juno, bem faziam alguns Nem-Nem que conheço em se fazer à estrada. É que o trabalho dignifica, e o comércio não contagia como a lepra. Sei bem que 500 € não é nada que fascine, mas sempre era uma lufada de ar fresco para o apertado orçamento de uns pais que eu cá sei.

Autoria e outros dados (tags, etc)

7 comentários

De Fenix a 18.01.2011 às 21:59

Fernando

Incrível não é?!
Só me ocorre uma explicação: se calhar os candidatos com o perfil de escravo, já estão todos colocados!
E ainda bem que assim é, pode ser que os salários comecem a subir novamente.

Abraço
Ana

De Fenix a 18.01.2011 às 22:18

Fernando

Não sei se sabe que agora é moda no comércio, os vendedores terem objectivos de vendas, e como a maior parte não consegue atingir, devido à crise, os contratos não são renovados. Daí que proliferem os anúncios. Isto não explica tudo, é verdade, mas nem tudo o que parece é.

Abraço
Ana

De Fernando Lopes a 18.01.2011 às 22:41

Ana,

Não se trata de escravidão. Trata-se de pessoas com formação superior, verem os pais como uma carteira com pernas.
Sei que o salário é baixo, sei que todos os vendedores (seja do que for), funcionam por objectivos.
Permita-me discordar porque quando era miúdo, 15 ou 16 anos, havia uma uma coisa chamada OTL (ocupação de tempos livres). Trabalhei durante anos nas férias (nas Finanças a arquivar, vigilante de crianças, professor de natação, sei lá).
É sempre melhor ter alguma ocupação, precária e explorada, do que ter adultos a dizer dá-me 40€ para gasolina, mais 40 para copos.

A culpa destes rebentos adultos, não é deles, é dos pais, que não lhes ensinaram que é mais digno trabalhar (seja lá como for) do que pedir.

Abraço,
Fernando

De Fenix a 18.01.2011 às 22:59

Fernando

Nem considerei a situação que apresenta, pois sou totalmente contra, e é lastimável que haja pais que o façam, pois só estão a criar os futuros predadores da sociedade.
Nesse aspecto estou totalmente de acordo consigo.

Abraço
Ana

De Dalaila a 19.01.2011 às 00:11

E eu meu amigo ia no primeiro sábado do mês, de autocarro, às 6 horas da manhã, com um saco enorme às costas, para vender aqui na feira do entulho.... os meus pais lá passavam pelo meio dia... e só diziam já chegaste aos 1000 escudos?? era sempre essa a minha meta... OTL tentei, mas naltura não me deixaram tinha que esperar mais um ano até aos 16.

De Fernando Lopes a 19.01.2011 às 00:30

Lila,

Sem bem como fazíamos. O caso que comentei acima é real, de uma míuda filha de um amigo meu que diz:
- Pai, licenciei-me em ... não estou para vender trapos em lojas.

E o pai, angustiado pelo monstro que criou confessou-se.

Beijo,

De pedro a 19.01.2011 às 22:13

Este assunto é bem mais complexo do q se pensa! Em primeiro lugar há muita pouca gente interessada em ganhar menos de 500 euritos (ps de descontos legais) e trb uma média de seis dias por semana e sem fins de semana de descanço. Depois há o tema dos funcionários q trb c/objectivos e como estes são sempre irrealistas, no final dos contractos, ála e venha mais carne frescas. Para terminar à uns tempos atrás li um artigo da associação dos comerciantes q cada vez mais os retalhistas do comércio tradicional se vêem a cada dia q passa c/mais dificuldade pr solver os seus compromissos imediatos, qnt mais contratar gente, ficando as grandes superfícies c/as vagas q ninguém quer!!! Ou seja está td uma maravilha...

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • JOSÉ RONALDO CASSIANO DE CASTRO

    O Pretinho do Japão é citado, como profeta, em Ram...

  • Anónimo

    Quando a sorte é maniversa nada vale ao desinfeliz...

  • M Manel

    Só agora vi a mensagem anterior - note-se que quem...

  • M Manel

    Uma ajuda... Arranja aí uma base para eu poder de...