Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Embora existam particularidades de género, nós homens, tendemos a ver mais o que une que o que separa. Inegável que o sexo com que nascemos nos marca alguns comportamentos, as hormonas outros, a educação outros tantos. Já não consigo é ouvir aquela generalização «as mulheres são todas iguais» ou a oposta. Existem mulheres guerreiras outras doces, inconformadas e comodistas, sensíveis e brutas que até dói. Como nos homens. O que nos define, além de traços de personalidade inatos e comuns a homens e mulheres, é o modo como fomos educados e os valores que partilhamos. O resto são tretas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

16 comentários

De Anónimo a 23.05.2017 às 13:47

Nem sequer te esforças para estar sempre de acordo contigo.
Filipe da tua afilhada

De Fernando Lopes a 23.05.2017 às 18:29

Consigo concordar comigo com alguma facilidade, o inferno são os outros.
Fernando apadrinhador

De Anónimo a 23.05.2017 às 19:48

Que Sartre esteja contigo a distância segura.
Filipe de sabes o quê

De alexandra g. a 23.05.2017 às 21:46

Sempre abominei (o pouco que li d') o Sartre, mas teria a sua razão. Aos 51 anos reconheço isto, sem qualquer problema. Sofro do mesmo (mas nada de exageros :)

De Fernando Lopes a 23.05.2017 às 22:10

Uma das coisas que mais me dói é o modo como a palavra filosofia é aplicada. Já temos «filosofia do futebol» e «filosofia de empresa». Filosofia deixou de ser um sistema de pensamento que procura compreender e interpretar o mundo para se aplicar a coisas tão comezinhas como onze gajos aos pontapés à bola.


_______________________
Desculpa lá o desabafo, mas como ex-estudante de filosofia, precisava mesmo de o fazer.
 

De alexandra g. a 23.05.2017 às 22:48

não desvies para canto (é assim que se diz/faz? :)
______
o Sartre era tão fílósofo quanto tu/eu/out@s: somos todos.


A minha cereja/porcelana, aos 6 anos, perguntando-me: "o que é deus?".
Por exemplo... :D

De Fernando Lopes a 23.05.2017 às 23:55

Haverá questão mais filosófica?

De redonda a 23.05.2017 às 23:26

Plenamente de acordo quanto a me aparecer que tal ocorre, já não tão certa sobre se será um dos maiores erros ou sequer um erro, mas apenas algo que acontece, como em outros pré-juizos...

De Fernando Lopes a 23.05.2017 às 23:59

Julgarmos previamente apenas baseados em generalidades ou preconceitos não despiciendo, é um erro que nos acompanha a todos, toda a nossa vida. Embora saibamos que tal será provavelmente inevitável, não podemos deixar de tentar combater este modo de ver/pensar/agir.

De redonda a 23.05.2017 às 23:27

e em cima não deveria ser "aparecer" mas "parecer" e se calhar eu devia mas é ir dormir em vez de estar a comentar com erros :)

De pimentaeouro a 24.05.2017 às 22:28

assino por baixo.

De Fernando Lopes a 25.05.2017 às 00:02

Obrigado, João.

De Aninhas a 27.05.2017 às 17:23

Ninguém é igual a ninguém! Tb há kem tenha tido boa educação, e onde é k ela está? Há pessoas k foram ou são criados à balda, e são educados! Prq educação é uma coisa, formação é outra! Uma pessoa pode não saber aplicar certas frases ou os verbos, prq não tem formação! Mas sabe respeitar e sabe dar-se ao respeito! Isso é educação! Qto a homem e mulheres, estou de pleno acordo! Há com cada um, e cada uma! Meu deus!

De Fernando Lopes a 27.05.2017 às 18:48

Mais importante que a educação é o carácter, e isso acho que não se aprende, é inato.

De Aninhas a 27.05.2017 às 19:34

Sim! Carácter e educação juntos seria perfeito, mas é difícil, quase impossível! Pr exemplo, irmãos, com a mesma educação, um td bem, o outro não! Cá está,é falta de carácter,prq a educação foi igual!

De Fernando Lopes a 28.05.2017 às 02:01

Por acaso tenho a ideia que o carácter é um bocado inato, outro tanto aprendido.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback