Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sr. primeiro-ministro, não seja provinciano.

por Fernando Lopes, 13 Jun 17

british school.jpgAlunos do colégio Inglês, many, many, years ago...
 

Sabemos que a macrocefalia da capital é como um buraco negro que tudo absorve. Passa-se isso mesmo com a candidatura à instalação em Portugal da Agência Europeia do Medicamento. Nada contra Lisboa, só que todas as cidades portuguesas que entendam reunir condições se deveriam poder candidatar à instalação deste organismo europeu.

 

Os argumentos conhecidos são de uma pobreza confrangedora. Em primeiro lugar a proximidade do INFARMED. Estou a imaginar as ruas da capital atafulhadas de centenas de estafetas, de cá para lá e de lá para cá, com emails debaixo do braço. Sr. Primeiro-Ministro, a comunicação empresarial e institucional é 95% efectuada via email, pelo que duvido que um email enviado do Rossio chegue ao INFARMED muito mais rapidamente que um outro enviado dos Aliados. Trabalho numa grande empresa, e documentos e encomendas enviadas hoje de manhã do Porto estarão à tarde em Lisboa e vice-versa. Há uma infinidade de serviços de entregas rápidas, nem vale a pena citar nomes.

 

O argumento da escola é ainda mais patético pois que me recorde assim de cabeça temos aqui na parolândia o Lycée  Francais de Porto, a Oporto British School, a Deutsche Schule zu Porto e o CLIP (Oporto International School). Esquece-se o PM que o Porto sempre teve ligações comerciais intensas com outros países europeus, o colégio inglês do Porto tem mais de 120 anos. Se estas não preencherem as condições, faz-se outra, para glória da iniciativa privada, do empreendedorismo, tão típicos desta gente do norte. 

 

Sr. primeiro-ministro não seja provinciano, reveja a sua decisão e aceite a nossa – e porque não outras – candidatura(s).

Autoria e outros dados (tags, etc)

40 comentários

De Fernando Lopes a 13.06.2017 às 23:55

A desculpa do INFARMED é pífia porque todos sabemos que entre a descoberta ou síntese de um princípio activo e a sua comercialização mediam décadas. Como diria o amigo Tó Zé Seguro: qual é a pressa?


______________________
Et pour cause da vinhaça do Porto e têxteis, sempre teve a invicta estrangeirada que até fede. Essa gente, como sabemos, não se mistura com os tugas, daí criarem colégios para a prole loira.


________________________
Totalmente a favor.

De alexandra g. a 14.06.2017 às 00:07

a partir do momento em que falamos de escolas loiras e Infarmed, tenho que ficar calada, sob pena de muito - que nem desejaria saber, mas sei - "me cair em cima"...
______
seria bom recordar à maioria dos tugas, por exemplo, como foi que/o que/quem fez a fama da vinhasca do Porto e a custo de tantos PT...


(e tanta gente gente enternecida, ainda hoje, com a prole de bifes de não sei quantas gerações, vingando nas encostas soalheiras como se tivessem sido picados por lacraus como o meu avô ainda menino, até imunizarem).
 
p.s. . diz-me, Ferdinand, que as pessoas vão acordar! :)*

De Fernando Lopes a 14.06.2017 às 00:18

Nunca. Esses que nunca carregaram um cesto ou podaram uma vinha são os nossos mais notáveis agricultores, cheiinhos de pedigree. 

De alexandra g. a 14.06.2017 às 00:35

'tá bem, mas eu gosto de ti, padrinho, finge que bebeste demasiado nas adegas de renome e diz-me que sim, que vão acordar, along with the portoghese! :)

De Fernando Lopes a 14.06.2017 às 00:57

Há uma coisa imutável que se chama «natureza humana». Eu sei, é um pesadelo de que nenhum de nós consegue acordar.

De alexandra g. a 14.06.2017 às 01:03

Desde o momento em que acordámos, temos o dever de acordar.
For the sake of all those who woke us up and for all we owe them  :)

De Fernando Lopes a 14.06.2017 às 18:31

Não tenho a pretensão de fazer ver a luz a ninguém, de arregimentar ainda menos. Catequizar não é, definitivamente, a minha cena.

De jabeiteslp a 14.06.2017 às 14:34

O teu Pedigree
desusa seja que arbítrio por aqui
que se tás cos copos
até temos uma Tuna
que faz jus ao Interior de tão jocosas e formosas
palavritas tuas
que assim sendo
bê lá se não amuas...Covilhã e Guarda
fazem parte do País ó albarda.

De Fernando Lopes a 14.06.2017 às 18:33

Vamos então prá tuna
com a malta da Covilhã e Guarda
senão mesmo não sendo asnos
enfiam-nos uma albarda

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • Fernando Lopes

    Prometido. Os tomates serão verdes, só para ser ma...

  • Anónimo

    Se fores à Manta Rota leva um cabaz de tabefes.Fil...

  • Fernando Lopes

    Caracóis só do mar ... búzios. Antes comiam-se na ...

  • Fernando Lopes

    Obrigado, e que o trambolho esteja bem longe.