Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não-Amor.

por Fernando Lopes, 12 Out 16

Um não-amor pode ser um amor que não deu certo, por certo tens uma estória dessas para contar embora as mais das vezes faças de conta que esqueceste. Pode ser um enternecimento que nunca chegou a passar disso mesmo, uma paixão não correspondida, traição que fizemos ou de que fomos alvo. O não-amor dói. Dói sempre, porque embora o falhanço faça parte indelével do percurso de cada um de nós, não gostamos de o admitir perante nós e principalmente face ao outro. Mas um não-amor também é bom. São memórias. Toques. Entusiasmo pueril. Um não-amor é como a face oculta da lua, não se vê mas está sempre lá. Como uma cicatriz que permanece como memória física de uma luta que encaramos com entusiamo. Quem não sofreu com um não-amor terá mais dificuldade em saber o que é esse mistério de encontrar um amor verdadeiro, correspondido, único, total, incondicional.

Autoria e outros dados (tags, etc)

21 comentários

De Carla a 12.10.2016 às 21:05

Pode fazer de conta que o esquece ou pode começar um blogue. Ou dois... ou três! :))

De Fernando Lopes a 12.10.2016 às 22:00

Não é mau ter memórias. Faz parte da nossa história. Não sendo nada dado a metafísicas , ao contrário de alguns dos meus amigos, cito-os dizendo, é parte do «processo». :)

De Pseudo a 12.10.2016 às 21:29

:)

Hoje é só isto. Mas diz (-me) muito:)

De Fernando Lopes a 12.10.2016 às 22:03

This is a video response to Pseudo. Migth be a bit corny, but who cares? 


https://youtu.be/05507hTNa7I

De Lucilia a 12.10.2016 às 22:47

https://youtu.be/DLOth-BuCNY

De Fernando Lopes a 12.10.2016 às 23:00

Image

De Lucília a 13.10.2016 às 20:27

Imagea intenção era colar aqui o link da "Dark Side of the moon" dos PF

mas algo correu mal- 

De Lucília a 13.10.2016 às 20:30

Foi premonição deveria ter colado Bob Dylan.....

De Fernando Lopes a 13.10.2016 às 20:39

Eu ouvi, copiei o link e fui ao YouTube. Deixe lá o Bob Dylan, o próprio deve estar surpreendido pelo que lhe calhou em sorte. 

De Lucília a 13.10.2016 às 22:11

Image Pink Floyd

De Pequeno caso sério a 12.10.2016 às 23:40

Um não amor também pode ser aquele que ,desajeitadamente, decide aparecer pela mão da pessoa certa mas com um sentido de timing do piorio.
E sim. Tens razão. Deixa tatuado na nossa memória aquilo que não chegou a ser mas que poderia ter sido.

De Fernando Lopes a 13.10.2016 às 00:04

Não tinha pensado nisso, mas o momento também pode ser importante. Mas é melhor manter mente e coração abertos, o tempo, em grande parte, somos nós que o fazemos.

De Pequeno caso sério a 13.10.2016 às 00:08

Acredita, não foi o caso .
A sacana da vida brinca deliberadamente connosco.

De alexandra g. a 13.10.2016 às 00:15

Mas o que é "o momento", afinal, o momento ou o "não momento"?
Já não percebo nada disto, damn!, com tanta pré-totalidade e a totalidade propriamente dita, com cicatrizes & tudo...


Quando for grande quero ser budista  :) Image

De Fernando Lopes a 13.10.2016 às 07:25

Tens a mania de só fazer observações complicadas. :) Eu sei lá se há um momento ou não. 

De Anónimo a 13.10.2016 às 16:27

Começo a habituar-me a estar quase sempre de acordo contigo e este quase nem a nanotecnologia a pescava mas atrevo-me a falar, sem dizer nada, do "desamor" que para mim significou ter ficado com uma cicatriz do tamanho do Grand Canyon, o que não é o mesmo que o "não-amor" e tu sabes bem do que não estou a falar.
Filipe que ainda não tirou os agrafos

De Fernando Lopes a 13.10.2016 às 18:50

Esta posta foi um bocadinho inspirada nas nossas conversas e nas (des)venturas amorosas de D. Filipe, O Agrafado.

De Anónimo a 14.10.2016 às 00:48

Cicatrises são feridas curadas. Pior é quando um não amor deixa uma ferida gangrenada.Há que cortar, para não morrer.
mm

De Fernando Lopes a 14.10.2016 às 07:26

Uma ferida curada que deixou marca. Às vezes dói um pouco. Está lá e faz parte da nossa história.

De Anónimo a 17.10.2016 às 19:56

Um amor que não se concretiza é ainda assim amor e perdura na memória, às vezes até mais do que os que foram totalmente vividos.
~CC~

De Fernando Lopes a 17.10.2016 às 21:44

Numa frase conseguiu ser mais clara que eu na posta toda. :)

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback