Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ficar sóbrio.

por Fernando Lopes, 12 Jan 17

À minha volta, amigos embebedam-se de paixão. Contrariamente ao que o vulgo diz, estar apaixonado é igual aos 20, 30, ou 50. A diferença só é notória porque existem menos expectativas em relação ao outro, aprendemos a aceitar mais, a tolerar melhor. Um amigo de longuíssima data confessa que só consegue viver nesse estádio, só esse entusiasmo pueril o faz feliz. Por natureza sensível ao estado de alma do outro, gosto de os ver assim, com um sorriso de orelha a orelha, como se nada mais importasse que o amor. Sendo homem de poucas mas fortíssimas paixões, entendo-os, abraço-lhes o coração, vivo pelos olhos dos outros. Embora aprecie estes momentos de inebriamento, enlevo, aconselho-os a ficarem sóbrios. Essa voragem que tudo consome não pode – ou não deve – ser o estado primeiro de alguém. Depois vejo que no fundo todos ambicionamos essa tonta felicidade permanente. Uns vivem para ela, outros habituam-se a mares menos capelosos. O meu conselho é treta. Vivam tão intensamente quanto for possível, entreguem o coração, corpo e alma, tanto quanto conseguirem. Quem não anda num permanente precipício só vive pela metade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

15 comentários

De Olivia a 12.01.2017 às 19:34

Pode ser diferente mas que sabe bem, sabe.~


Olá, sou a Olivia, nova por estas bandas. Gostei do blogue! (:

De Fernando Lopes a 12.01.2017 às 20:17

Todos os amores são tão diferentes, e no entanto, tão iguais.


Bem-Vinda.

De alexandra g. a 12.01.2017 às 23:57

a paixão é embriagante, sim, mas também o é o compromisso, a promessa de estabilidade, não existe só um lado, creio eu.

pertenço a ambos os lados, como pertencem os meus manos e mana e também o meu pai pertenceu.

quando se passa, ébrio de paixão, paixão, paixão, para um lado, de compromisso feito, é de permanência feito ponto

(do mesmo modo que, quando se percebe que o compromisso se desvaneceu, há que recuperar as faculdades todas, o conhecimento propriamente dito :) e ir à vida :))

De Fernando Lopes a 13.01.2017 às 00:19

Suponho que não haverá uma única fórmula ou modo de sentir. Melhor, existirão tantas quantas as pessoas que se amam. 


______________________________________
Disse ao nosso amigo comum que uma das coisas que me encantou na vossa relação foi a cumplicidade, companheirismo, ou melhor ainda «compinchismo».


_____________________________________
Além disso, todos temos os nosso momentos «Clash»
https://youtu.be/oGIFublvDes

De alexandra g. a 13.01.2017 às 00:27

no matter what, you'll allways belong to us :)*

De Fernando Lopes a 13.01.2017 às 00:29

I know, and in some strange way, that makes me awful proud.:)

De alexandra g. a 13.01.2017 às 00:35

trust me, there's nothing strange 'bout this: be proud, very proud, dear Ferdinand, 'cos this this is rare, so rare :)*

_______
p.s. - sobre os clash: rock the casbah é - foi sempre - a minha preferida - shall we dance? :)

De Lucília a 13.01.2017 às 08:17

Olá Fernando, um amigo disse.me  que os homens nunca se apaixonam. Sendo eu novita na altura e ele já formado em medicina o ultimo facto ainda me fez assustar mais acreditando que haveria alguma fundamentação no que dizia. Constatei que não é verdade mas aquilo "bateu.me" e fico sempre aliviada quando sei de homens apaixonados.Os médicos enganam.se, certo, Fernando?!

De Fernando Lopes a 13.01.2017 às 08:54

Todos os homens se apaixonam, alguns têm dificuldade em admiti-lo porque nisso vêem sinal de fragilidade. Estúpido, mas verdadeiro.

De Anónimo a 13.01.2017 às 08:59

Como se consegue viver sempre no centro do furacão? Gosto dessa vertigem, mas também de quando o vento acalma, da brisa ligeira que aquece e afaga sem queimar. Mas é como diz, cada um tem os seus modos.
~CC~

De Fernando Lopes a 13.01.2017 às 09:44

Também para mim, essa vertigem pode ser demasiado intensa. Mas todos ambicionamos viver assim, o tempo é que nos ensina a ser mais contidos, penso eu de que. :)

De Anónimo a 13.01.2017 às 10:34

Padrinho, em breve será enviado o convite para a cerimónia casamenteira mais louca que alguma vez verás.

Filipe dela.

De Fernando Lopes a 13.01.2017 às 13:22

Já te disse que o meu apadrinhamento dá azar. Melhor pensares bem.

De redonda a 18.01.2017 às 20:08


E para os que não estejam apaixonados, haverá sempre o chocolate...excepto se não gostarem de chocolate...

De Fernando Lopes a 18.01.2017 às 20:48

Nem o mais sofisticado sabor a chocolate do mundo poderá equivaler ao da paixão. 

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback