Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Empreendedorismo.

por Fernando Lopes, 21 Mar 16

Eu, que detesto os tiques da moda em que qualquer taberneiro com uma tasca de look vintage passou a empreendedor, tive uma ideia de negócio. É verdade, não consigo vender um gelado em África ou um aquecedor no Árctico, mas tive uma pulsão empreendedora.

 

Dentro em breve com os juros a taxa 0, as poupanças dos portugueses passarão a ser «desremuneradas», isto é, um depositante faz uma promissória de 10.000 euros e após um ano terá 9.990, dez euros subtraídos por despesas de manutenção.

 

É aqui se inicia a minha ideia. Mandar fabricar cofres para que os forretas tenham o dinheiro em casa. Que ninguém duvide que a manterem-se estas taxas de juro a venda de cofres irá aumentar vertiginosamente.

 

Esta é a parte um. A parte dois é num acordo de larápios, combinar com os chineses que construirão o meu cofre um segredo comum. Em regime de outsourcing subcontrataremos uma equipa de ladrões capazes que se encarregarão de aliviar a clientela de tudo o que forem jóias, ouro em medalha ou barra, deixando intocado o dinheiro. Dada a singularidade do procedimento, antes que alguém associe a marca aos roubos já teremos uma poupança capaz de nos deixar uma meia-dúzia de anos nas Caraíbas de papo para o ar.

 

Agora digam lá que não tenho futuro nessa coisa do empreendedorismo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

15 comentários

De Genny a 21.03.2016 às 21:04

Onde se faz a encomenda? Image

De Fernando Lopes a 21.03.2016 às 21:11

Só vendo a desconhecidos, tenho algum pudor em roubar os amigos.
Image

De Genny a 21.03.2016 às 21:16

Assim nunca mais chegas às Caraíbas! Image

De Fernando Lopes a 21.03.2016 às 21:40

Um homem distingue-se também pela integridade dos e em relação aos amigos. Por isso Dias Loureiro, Duarte Lima e Oliveira e Costa me pediram amizade no facebook e recusei. ;)

De Carla a 21.03.2016 às 21:17

Podemos fazer uma parceria, para eu fornecer os doces para a sobremesa. ;)

De Fernando Lopes a 21.03.2016 às 21:35

Carlinha, ando a comer verdes há um mês e meio, baixei de 82 para 76, três furos no cinto e tu vens tentar-me com os teus doces? T'arrenego criatura, que és um versão gira das sereias do Ulisses. ;)

De Carla a 21.03.2016 às 21:38

Então, comem só os larápios chineses. Tu ficas a olhar! :D




(bravo! belo feito o teu ;)

De Fernando Lopes a 21.03.2016 às 21:43

Assim como assim são sempre os chineses que ficam a ganhar. Um dia destes fazem um take-over à «Colher Gulosa».

De Carla a 21.03.2016 às 21:52

Cluzes, cledo!
Isso é que não!!!

De Fernando Lopes a 21.03.2016 às 22:05

Image

De Um Jeito Manso a 21.03.2016 às 23:51

Olá Fernando,
Tanto quilo em tão pouco tempo? Qual o segredo? Boca fechada ou algo menos traumatizante? Estou a ver se me convenço a pôr-me na linha mas não me apetece sofrer. Será que a sua dieta é 'friendly'?
Conte...

De Fernando Lopes a 22.03.2016 às 00:30

Nada de especial excepto cortar totalmente com os hidratos de carbono. Almoço: bife com vegetais cozidos, jantar: atum e salada e coisas assim. Não como arroz ou batata e apenas um pão por dia. Ocasionalmente corn flakes ou algo do género, fruta uma ou duas peças por dia. Os primeiros 4 quilos foram canja, agora a perda de peso é bastante mais lenta. Também caminho com frequência. 

De Um Jeito Manso a 22.03.2016 às 00:57

Pois, calculei. Essa é das boas mas, ainda assim, difícil. Gosto tanto de queijo com mel, de iogurte com frutos secos, de sumo de fruta, de chocolate preto. Tudo calorias, calorias, calorias. E uma vida tão sedentária. Uma caminhadinha de menos de uma hora por dia não serve para derreter as calorias. Enfim. Tenho que 'empreender' e levar esse 'desafio' com determinação.


Thanks, Fernando.

De Ana A. a 21.03.2016 às 22:05

Então, e o negócio da banca?! Que eu saiba o banqueiro nunca perde! Associe-se aos chineses mas comprar um banquito a preço de saldo...

De Fernando Lopes a 21.03.2016 às 22:10

Os bancos transformaram-se num negócio muito arriscado, e nem todos nascemos para ser Horta Osório, que por mero acaso é filho de uma prima afastada da minha mãe. Podia contratar-me para o simples papel de «chega-me isso», com o que pagam em na banca em Inglaterra estava próspero. :))

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback