Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

E agora para algo sério.

por Fernando Lopes, 18 Mai 16

Um leitor aqui da taberna deu-se ao trabalho de me agradecer por não ser homofóbico. É grave, no sentido em que ninguém se devia sentir agradecido por ser respeitado. É civismo básico. Não sou um defensor dos direitos gay – nem de porra nenhuma – porque não me parece que ser homossexual seja uma escolha, nem atribuo a uma preferência sexual direitos ou deveres diferentes dos demais. Nasce-se assim e pronto. Somos como somos e os outros devem respeitar-nos pela integridade, carácter, não pelo sexo da pessoa com quem dormimos. Provavelmente serei bizarro, mas a minha masculinidade, a paixão por mulheres que sempre fez parte de mim não precisa de ser comprovada por outros machos. É assim, como podia não ser. Não vou na conversa de «eu também tenho amigos homossexuais» como se tal fosse sinal de tolerância ou modernidade. Tenho amigos que são excelentes pessoas, a sua vida íntima é-me irrelevante.

Autoria e outros dados (tags, etc)

20 comentários

De alexandra g. a 18.05.2016 às 21:13

Olha, então o assunto anterior não era sério?!
Não saio daqui sem parti , hum, deixa cá ver...
já sei, o cabeçalho (o Beckett é Meu! :)

De alexandra g. a 18.05.2016 às 21:15

"sem parti"


era 


sem partir, claro, gosto muito de partir: cabeçalhos, por exemplo :)

De Fernando Lopes a 18.05.2016 às 21:40

Num registo mais sério, sinto-me desconfortável quando alguém acho estranho o respeito pela sua opção sexual. É sintomático de uma sociedade ainda com preconceitos quase medievais. 

De alexandra g. a 18.05.2016 às 21:51

medievais?
paleolíticos (sem a boa parte animal, só résteas de sobrevivência mal parida)!

De Fernando Lopes a 18.05.2016 às 21:58

Não me fales em paleolítico que agora anda tudo a comer raízes e carne meia crua como se a agricultura e o fogo não existissem. Ele há cada puta de moda...

De Gaffe a 18.05.2016 às 22:06

"Cada moda"
 Puta sempre existiu.
(Pardon ny french)

De Gaffe a 18.05.2016 às 22:07

Pardon também "ny" que não tem culpa nenhuma.

De Fernando Lopes a 18.05.2016 às 22:10

Os meus conhecimentos antropológicos são mais que incipientes, mas estou quase certo que puta é um conceito pós-paleolítico. Naqueles tempos seria apenas uma mulher que gostava de sexo e consequentemente o praticava amiúde, sem fama que se visse, nem proveito financeiro. :)

De FS a 19.05.2016 às 08:02

Não sei, não... Sexo em troca de recursos, seja ele pecuniário ou não... Alguém o deve ter feito antes do paleolítico por um naco de carne ou umas raízes... :)

De Fernando Lopes a 19.05.2016 às 19:25

Talvez, quem sabe. No entanto isso é mais «mercado livre» que prostituição. :)

De Gaffe a 18.05.2016 às 21:42

E o odioso "os gays são os nossos melhores amigos"?

De Fernando Lopes a 18.05.2016 às 21:49

«Sobram as gajas que eles não comem». Curiosamente esses nunca têm sorte com as mulheres. :)

De Gaffe a 18.05.2016 às 22:05

É impossível. Normalmente as mulheres olham de imediato para as suas ... limitações ou para os seus compensatórios e exibicionistas carros grandes.

De FS a 19.05.2016 às 08:04

Percebo e concordo... Congratular alguém ou agradecer a aceitação dos outros é sinal de que "algo vai mal"...

De Fernando Lopes a 19.05.2016 às 19:26

E que não devia ser sequer aventado neste início de Sec. XXI.

De Maria Manel a 20.05.2016 às 13:16

(Deixa-me pensar bem o que vou escrever)Image
Fui a Paris quando tinha 16 anos, num passeio do meu liceu -tenho 50 agora, já foi há algum tempo ...
(Curiosamente foi no mesmo verão em que conheci o mestre deste blogue Image)


Portanto, há 34 anos atrás, eram grandes as diferenças entre Paris e Porto ou Lisboa. 
Além de ter sido a primeira vez que comi um hamburguer industrial,- foi Burguer King e não Mac, felizmente - foi também a novidade de ver casais de homens  a namoriscar e mulheres a mandarem piropos quando passavam raparigas)
O que não pôde deixar de me espantar foi a "qualidade" dos elementos dos casais de homens namoradeiros - eram todos "top" , (ou também fica mal a constatação?

De Fernando Lopes a 20.05.2016 às 18:44

De modo nenhum, haverá homossexuais bonitos e feios, como nos hetero. Talvez reparasses mais porque no subconsciente esperarias que fossem «sobras». Não são. 


P.S. - É mesmo de gaja lembrar-se de quando me conheceste, só me recordo que foi noutra vida. :)

De Anónimo a 21.05.2016 às 11:31

Sobras?  Nunca foste ao Boys're us nem ao Bustus - estás mesmo out ...
E quanto à memória de gaja, há um depoimento teu neste mesmo blog a dizer que te lembras de tudo e que a memória te não dá tréguas.Image
Mas pronto, foi na outra vida.  No sweat.

De Fernando Lopes a 21.05.2016 às 17:49

Nunca me esqueci de nada que fosse traumatizante. Conhecer-te não foi assim tão traumático. 
Image

De Maria Manel a 23.05.2016 às 12:40

Afinal!Image

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback