Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deixa-me em paz.

por Fernando Lopes, 19 Set 17

Deixa-me em paz. Deixa-me em paz gorda, para ir para a cama contigo é preciso ter carta de pesados. Não te chegues a mim com esse hálito bafiento, quando te aproximas não acendo o cigarro com medo que tudo vá pelos ares. Não me olhes com esses olhinhos mortiços, nunca sei se estou a fitar gente ou um peixe. Tira a mão do meu ombro,feiosa, a camisa é lavada. Não te esfregues em mim, não suporto esse odor a bedum. Sim, vamos casar, eu, tu e os teus gatos, o apartamento a feder a mijo, tanto que só me apetece vomitar. Vamos ser psicóticos, ter discussões, insultar-nos. Vamos foder frente àquele armário espelhado de que tanto gostas para que eu possa ficar murcho só de ver o teu reflexo. Vamos beber até cair, vamos ser muito, muito felizes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

17 comentários

De Fernando Lopes a 22.09.2017 às 19:02

Não é nada magricela, ou já não distingues entre magreza e elegância?

De alexandra g. a 22.09.2017 às 21:21

:)


grazie, Godfather, mille, mille! 


ficar-me-ia bem o silêncio, nesta questão, mas tem a sua graça por se repetir, no mesmo dia: foi dia de consulta e exames no contexto anual (após os 50, é anual) da Medicina do Trabalho. El doctor elogiou profusamente a minha elegância (sic), aos 51, duas filhas depois, o único IMC correcto numa equipa de quase 15 pessoas, de novo. Não vou mentir e dizer que foi um exagero da parte dele, sei que me observou e aos resultados dos exames com olho clínico, mas respondi-lhe que muita gente continua a dizer-me que preciso de uns quilitos, o que o fez responder, quase irado, que "nem mais grama, nem menos grama". 


_______
p.s. - o malandro queria retirar-me os cigarros - "O SEU ERRO!!!!!!!!" - mas respondi-lhe que vou trocá-los por cenouras cruas, quando conseguir (já consigo, a par dos ditos, que dão-se muito bem :))


Sabe bem, sim, escutar isto :)*

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback