Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deixa-me em paz.

por Fernando Lopes, 19 Set 17

Deixa-me em paz. Deixa-me em paz gorda, para ir para a cama contigo é preciso ter carta de pesados. Não te chegues a mim com esse hálito bafiento, quando te aproximas não acendo o cigarro com medo que tudo vá pelos ares. Não me olhes com esses olhinhos mortiços, nunca sei se estou a fitar gente ou um peixe. Tira a mão do meu ombro,feiosa, a camisa é lavada. Não te esfregues em mim, não suporto esse odor a bedum. Sim, vamos casar, eu, tu e os teus gatos, o apartamento a feder a mijo, tanto que só me apetece vomitar. Vamos ser psicóticos, ter discussões, insultar-nos. Vamos foder frente àquele armário espelhado de que tanto gostas para que eu possa ficar murcho só de ver o teu reflexo. Vamos beber até cair, vamos ser muito, muito felizes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

17 comentários

De redonda a 19.09.2017 às 22:11

Mas será possível serem felizes assim? 
Ou será que ele pensa, mas não diz, e aí ela pode ser feliz, e ele poderá sê-lo porque bebe...
Mas ela poderá sentir o mesmo por ele e não o dizer, chamar-lhe também gordo ou magrela, magrinho - haverá algum nome assim bem mau para um magrinho?
O melhor é ela dar-lhe um chute e pronto

De Fernando Lopes a 19.09.2017 às 22:30

Ele é muito magrinho, mal humorado, convencido, e um bocado parvo. Formam um belo casal. 

De redonda a 19.09.2017 às 22:33

 vá lá, pelo menos como tudo isso formam um belo casal :)

De Fernando Lopes a 19.09.2017 às 23:07

«Nasceram um para o outro, num pas de deux fascinante, o destino juntou-os para os separar mais adiante». 

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback