Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Como homem não me recomendo a ninguém.

por Fernando Lopes, 20 Mai 16

Estava a ouvir os meus colegas no fumatório. São rapazes com imensos talentos: sabem cozinhar, ajudam na lida da casa, têm jeito para bricolage, fazem a vontade às mulheres. Rapei o cabelo com um pente 4 e ouvi um a dizer: é mais prático, mas não o faço porque a minha mulher gosta de me ver de cabelo mais comprido. Quero lá eu saber se ela gosta ou não.

 

Quase nunca acedi às vontades da minha cara-metade. Gostava que fosse contido, sou expansivo; queria que bebesse moderadamente, de quando em vez apanho pifos de paralisar os neurónios; ansiava porque não dissesse asneiras, sou capaz de me bater mano-a-mano com uma peixeira do Bolhão.

 

Quando me conheceu já era assim, não mudei um milímetro. Analisando friamente sou um cavalo desgovernado que só faz o que lhe dá na real gana. Um dia destes tenho as malinhas à porta. Merecidamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

17 comentários

De Anónimo a 20.05.2016 às 19:38

É como dizes "quando me conheceu já era assim". Para quê mudar?
Bom fim de semana, Fernando!


De Genny a 20.05.2016 às 19:40

Anónimo tem nome - Genny :-P

De Fernando Lopes a 20.05.2016 às 19:52

Mas isso não me absolve dos pecados, Genny. No fundo, também não quero ser absolvido. :)

De alexandra g. a 20.05.2016 às 20:55

"as malinhas à porta" denuncia uma certa vaidade... e se forem sacos do lidl, com a factura agrafada, que saem caros, afinal? :D

De Fernando Lopes a 20.05.2016 às 23:10

Quando tentou abrir a porta, notou que a fechadura tinha sido trocada. No chão dois sacos dos Lidl, um com camisas, calças, cuecas e meias. Tudo preto, felizmente. No outro, dois livros do Rentes, e os primeiros três volumes de «À La Recheche du Temp Perdu». Por baixo disso, um pack de seis minis, Super Bock, pois claro, uma garrafa de Smirnoff e Compal Frutos vermelhos. O verdadeiramente essencial estava lá. Agrafados dois talões de compras com uma letra redondamente feminina. Um dizia «Puta Que Te Pariu», o outro «Que a Terra Te Seja Pesada». O boémio foi até à loja dos chineses e trocou os sacos plásticos brancos por pretos. – Pode ficar com os talões, são-lhe dedicados, disse. A seguir foi ao Pingo Doce e colocou no placard dos anúncios o seguinte. «Dou explicações de inglês e filosofia em troca de cama para pernoitar. Faz-se sexo ocasional com sra. disponível e meiga». Pensou, «alea jacte est», e partiu para dar uso às minis e ao vodka com frutos vermelhos. 

De alexandra g. a 20.05.2016 às 23:16

com esse humor requintado, se ela te colocar alguma coisa à porta, será decerto em malas Vuitton (para ambos, enquanto te pede que segures os bilhetes de avião, que tem um collant ligeiramente torto a necessitar de cuidados :)

De Fernando Lopes a 20.05.2016 às 23:18

Bondade tua, minha querida. Sou uma besta e não abdico.

De alexandra g. a 20.05.2016 às 23:29

ok, as malas, eram de contrafacção, exagerei na bondade e peço humildes desculpas, não voltará a repetir-se! :)

De Anónimo a 21.05.2016 às 11:20

Todas as bestas fossem como tu e o PAN nunca teria existido...
Filipe bestazinha

De Fernando Lopes a 21.05.2016 às 17:48

Sorte tua a de nunca teres sido casado comigo. :)

De Pequeno caso sério a 21.05.2016 às 17:54

Umas eternas insatisfeitas estas mulheres. ..hunf!  ;)

De Fernando Lopes a 21.05.2016 às 20:03

É da natureza feminina encarar um homem como um «work in progress». Tanto lhe hei-de dar na cabeça que ele há-se transformar-se no que sonhei. Há homens mais adaptáveis e depois os outros, como este teu escriba. 

De pimentaeouro a 21.05.2016 às 20:27

Tudo pode acontecer neste mundo do Demo.

De Fernando Lopes a 21.05.2016 às 21:57

Verdade, meu caro. Sou um homem à espera do melhor e preparado para o pior. 

De redonda a 23.05.2016 às 22:53

Lembrei-me do filme "Ele não está assim tão interessado" (acho que se chamava assim) em que num dos casais ela descobria que aquilo em que ela queria que ele fosse diferente não era importante sobretudo se comparado com aquilo que ele era.

De Fernando Lopes a 08.06.2016 às 21:43

Gábi, nunca vi, mas as comédias românticas divertem-me. Vou procurar na net.


P.S. - Desculpa o tardio da resposta, o email estava perdido algures. :(

De redonda a 08.06.2016 às 21:58

No problem :)   e também há o livro, mas não o li :)

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback