Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Agora também deitas facas ao lixo?

por Fernando Lopes, 23 Set 15

7:20. Acordo e vou fumar um cigarro para o escritório. Cá em casa todos acordamos mal-dispostos, existe um acordo tácito para não trocarmos muitas palavras pela manhã. A minha mulher passa por mim com ar ensonado. Passado um minuto chama-me e diz-me a primeira frase do dia: Agora também deitas facas ao lixo? Assim, a  seco. Com as cascas de fruta tinha ido o utensílio. Estamos escravos de rotinas e tarefas. Certo é que saio às 7:55, vou levar a miúda ao colégio, regressando à escola às 18:45 para a trazer para casa. A minha mulher sai por volta das 8:00 e nunca regressa antes das 20:00. O escasso tempo que temos é para tratar de coisas práticas. Já compraste os cadernos da miúda? É preciso pagar o condomínio; Faltam-te medicamentos. Não sei quando é que nos deixamos aprisionar pelas grades da utilidade, certo é que tudo gira em torno do dia-a-dia. Não a culpo ou a mim, a culpa é de ambos e tem como madrinha a circunstância. Trabalha, paga as contas, toma conta da cria. Esta circularidade toma-me, toma-nos, conta do tempo e da vida. Provavelmente estaremos demasiado indiferentes ou demasiado velhos quando repararmos que este é um caminho sem retorno.

Autoria e outros dados (tags, etc)

40 comentários

De Inês a 24.09.2015 às 10:55

Quebrar rotinas só depende de nós. Vivemos literalmente afogados nelas. Muitas vezes nem damos conta e temos sempre coisas para tratar, para fazer, para... só depende de nós parar e dizer "que se lixe". E em vez de ir passar a ferro, ir namorar. Aproveitar a ida ao multibanco, para dar um mini passeio com o nosso par (se for preciso vai-se a um mais longe para prolongar a passeata). Parece tão fácil. Pergunto-me muitas vezes porque não conseguimos. Se por falta de vontade, se por estarmos acomodados, se é por achar que dá muito trabalho. Mas que só depende de nós, não tenho dúvidas.
Beijinhos
Inês

De Fernando Lopes a 24.09.2015 às 11:27

Inês, são precisos dois para dançar o tango. Sou o palhaço lá de casa, mas até um palhaço precisa de público para actuar. É verdade que se devem quebrar rotinas, é também verdade que trabalhando 12 horas por dia, compreendo que a minha mulher não tenha pica para grandes brincadeiras. É mais dormir e voltar às feras.


Beijo.

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • alexandra g.

    "Essas jovens, com pouca maturidade e muita necess...

  • Fernando Lopes

    O sistema americano é de facto estranho, mas o gre...

  • Maria Manel

    Já deviam ter aprendido quando o Bush ganhou as el...

  • Fernando Lopes

    Já vi, e apreciei a riqueza do trocadilho.