Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A tua nova cama de casal.

por Fernando Lopes, 3 Dez 12

Pareces tão derrotada deitada na tua nova cama de casal
Com uma só almofada sob a tua solitária cabeça
Decidiste que a velha cama gigante era mais do que necessitavas
Agora está no beco atrás do teu apartamento com um letreiro a dizer que é de graça

 

Espero que tenhas mais sorte do que eu

 

Costumavas pensar que alguém surgiria
E se deitaria a teu lado no espaço que lhe pertencia
Mas o outro lado do colchão permanecia como novo
Qual é o sentido de nos agarrarmos a algo que nunca será usado?

 

Além de um desejo doentio pelo auto-abuso

 

E tento não não me preocupar, mas conseguiste aterrorizar-me
É como se tivesses algum tipo de urgência em dizer adeus, adeus, adeus

 

Pareces tão derrotada deitada na tua nova cama de casal
Pareces tão derrotada deitada na tua nova cama de casal

 

 

Adaptação minha de uma letra de "Death Cab For Cutie".

 

Dedicado a  quem se encontra ou sente sozinho mas não desiste de tentar o amor. Porque, quando se desiste de amar, morre-se um bocado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

9 comentários

De Uma Rapariga Simples a 03.12.2012 às 19:07

A minha cama de solteira ainda ontem quase me pôs dela para fora. Acho que gosta tanto de mim quanto eu dela.
Acho que é melhor ir ali tirar mais um bilhete e tentar dar mais uma voltinha, pode ser que o homem da minha vida esteja sentado em cima de um unicórnio branco e rosa. :)

De Fernando Lopes a 03.12.2012 às 19:34

Em cima de um unicórnio, a pé, de carro, mota ou bicicleta, o importante é não desistir. Ele anda por aí.
:)

De Uma Rapariga Simples a 03.12.2012 às 19:39

O desgraçado que se livre de não andar! Era só o que mais faltava. humpf
:))

De Fernando Lopes a 03.12.2012 às 19:50

É esse o espírito. Se for preciso, transforme-se em Flintstone , dê-lhe uma marretada na cabeça e arraste-o pelos pés. É que há tipos muito indecisos, que precisam que tomem esse tipo de decisões por eles.

De Uma Rapariga Simples a 05.12.2012 às 23:45

AI, não me dê ideias, que eu sou da aldeia! Se o rapazinho se quiser escapar, dou-lhe com o olho do sacho tão em cheio que o mais certo é tornar-me viúva sem casar. :D

De Fernando Lopes a 06.12.2012 às 00:01

http :/ pt.wikipedia.org wiki /A_Vi%C3%BAva_Virgem

De Uma Rapariga Simples a 06.12.2012 às 00:10

Era quase isto. Menos uma parte ou outra...

De Anónimo a 04.12.2012 às 13:38

Amo, logo existo...
mm

De Fernando Lopes a 04.12.2012 às 14:10

E há razão mais bela que essa para justificar a existência?

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback