Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A grande arte produz-se de barriga vazia

por Fernando Lopes, 6 Mar 12

Vítor Lança

A ideia de que ser artista não é um modo de vida, antes uma fruição para ser partilhada à borla, é uma ideia peregrina que parece ganhar renovado vigor em tempo de crise. Vem esta prosa a propósito de um prémio atribuído ao jovem artista plástico André Lança. Concorreu e venceu a XVII Galeria Aberta, que decorreu em Beja. Pela obra acima deveria, e digo deveria, ter recebido um prémio pecuniário de 1.600 €. Não lhe pagam com a habitual desculpa, "problemas de tesouraria". Tem o vereador da cultura o desplante de afirmar "A câmara vai continuar a apoiar os artistas locais, mas só paga quando tiver dinheiro. Mas se os artistas não quiserem colaborar nestas condições, digam e nós deixamos de contar convosco". É assim mesmo, o artista quer-se miserável e subjugado. Todos sabemos que a pobreza é muito mais criadora do que a opulência.

Autoria e outros dados (tags, etc)

3 comentários

De MManel a 06.03.2012 às 17:45

O quadro é sem dúvida, bonito.
Esperemos que ainda tenha dinheiro para mais umas tintas e tela :-|
Estamos a viver social o vómito depois da congestão, da bebedeira, do excesso...
Vamos ver quem sobrevive a esta ressaca


Bjts

De Fernando Lopes a 06.03.2012 às 18:47

Eu não me embebedei, porque é que me acusam de ressaca? Agora a sério, promover eventos assim, é uma fraude. Se a autarquia não tem condições para pagar os prémios, não está em condições de promover este tipo de eventos. Mais ainda, não pode ter a sobranceria que demonstrou o "vereador da koltura".

Beijo,

De MManel a 06.03.2012 às 17:46

Estamos a viver socialmente - era o que queria dizer ***

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • Fernando Lopes

    Esta não é totalmente surda, ouve muito mal mas re...

  • alexandra g.

    Uma bela albina, poderia ser gémea da gata da minh...

  • Fernando Lopes

    Tu és de pouco alimento, a despesa suporta-se bem....

  • Anónimo

    Com a poupança que tens tido nos almoços comigo e ...