Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tão perto quanto possível.

por Fernando Lopes, 25 Jul 17

FromTheLionsMouth.jpg

 

A minha filha deve ter engolido algum plano quinquenal soviético, pois nesta semana que vai passar comigo estava preocupadíssima em «planear actividades». Gosta de ter tudo planificado, já marcamos a sessão de cinema, o safari fotográfico e sei lá mais o quê. Hoje era dia de ir ao Zoo de Santo Inácio, em Vila Nova de Gaia. Diverti-me tanto quanto ela a admirar búfalos, girafas, rinocerontes, lontras, capivaras e demais bicharada. Os leões estão num enorme recinto e passeamos pelo seu habitat dentro de uma espécie de tubo vidrado como nos oceanários. Parece que os bichos gostam de se deitar ao sol em cima dos vidros. Não terão estes mais de dois metros de altura, e o vosso escriba podia tocar na leoa a bronzear-se. Por muito que tentasse, não consegui deixar de exprimir um entusiasmo quase infantil. Fica a fotografia como testemunho desta criança que insiste em não me abandonar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Das maravilhas do «outsourcing».

por Fernando Lopes, 25 Jul 17

Um tipo bateu no carro da minha mulher, que estava estacionado. Enviei a participação de sinistro para o primeiro email que me apareceu daquela companhia. Como uma semana passada não obtive resposta, liguei para um call center. Lá explicaram-me que apesar de todas as companhias pertencerem ao mesmo grupo segurador, deveria enviar para a companhia A e não para a companhia-mãe. Assim fiz. Oito dias depois recebo um email do remetente original a dizer, não é connosco é com B. Sem indicação do endereço para o qual enviar. Nada. Insisti para ver se a sra. fazia forward para o endereço correcto. Recebo mais um email lacónico a dizer «Esta mailbox é de X, envie para a companhia Y». Endereço, de grilo. Percebo que o email é de uma outsourcer. Era mesmo. Quer a jovem que os clientes entendam por si a relação que existe entre as várias seguradoras do grupo. Um atendimento deste tipo é assassino para a reputação, no entanto muitas das grandes empresas portuguesas continuam a externalizar serviços a empregados de ninguém, a quem pagam patacos. A poupança em custos com pessoal é imediata, os danos na imagem só serão visíveis no longo prazo. Continuem o bom trabalho, e já agora, citando Saramago, externalizem também a puta que vos pariu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • alexandra g.

    "Essas jovens, com pouca maturidade e muita necess...

  • Fernando Lopes

    O sistema americano é de facto estranho, mas o gre...

  • Maria Manel

    Já deviam ter aprendido quando o Bush ganhou as el...

  • Fernando Lopes

    Já vi, e apreciei a riqueza do trocadilho.

subscrever feeds