Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Memórias eróticas de um infante.

por Fernando Lopes, 25 Fev 13


Há momentos em que desfilam recordações há muito arquivadas no baú do tempo. Retornam à memória momentos da infância e juventude com maior nitidez, como se o tempo da inocência e patetice, fosse, por essas duas ordens de razões, ele próprio mais feliz. O meu primeiro pipi, que vi claramente visto, foi o de uma vizinha, numa quinta que existia em pleno centro do Porto, bem à nossa porta. Lembro-me da estranha sensação que percorreu o meu corpo – algo semelhante a uma erecção – quando me foi revelada a origem do mundo.


Os homens nascem de, matam, traem, mentem, usurpam reinos por um pipi – ou melhor - pela sua dona. Depois, passam pela vida vários pipis que nunca perdem o mistério. Um universo secreto e escondido, para onde somos sugados, transformando dois corpos num só. Recordamo-nos com carinho e desejo de todos esses corpos e mulheres que amamos, tenha sido por uma vez ou mil. Existe a ideia pré-concebida que o macho se esquece dos seus amores. É mentira. Cada beijo, cada namorada, cada vez que fazemos amor fica indelevelmente na memória, mesmo que alguns pavões simulem o esquecimento. Porque nos incutem esta necessidade da "não memória", nunca entendi. Dizem que as mulheres nunca esquecem. Nós também não.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • Fernando Lopes

    Eh pá, nos contras diria que não é um cão. Nos pró...

  • Genny

    Tão gira!Mas confessa...já estás rendido à gata, n...

  • Fernando Lopes

    Croissant, meu caro, mas como o povo não sabia fra...

  • Carlos A. de Carvalho

    Que raio são coraças ? Como vou estar por aí a sem...

subscrever feeds